PT | EN | ES

Main Menu


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR1448

1630. Carta de Simão de Fontes, mercador, para João Moreno, seu tio.

Author(s)

Simão de Fontes      

Addressee(s)

João Moreno                        

Summary

O autor comenta a atmosfera vivida na capital do reino com respeito às perseguições perpetradas pelo tribunal do Santo Ofício e dá conta dos preparativos em que se tem empenhado para conseguir fugir.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

lisboa 25 de 9bro 630 Snor tio joão moreno

Resebi a de vm q foi pa min de munto gosto por me avizar nela tem saude q goze mtos annos en companhia de minha tia e primos e primas a q me encomendo com mil veras ao prezente fiqo com ela soposto q mto saudozo de me ver ja la q os dias me paresem annos mas estas lenbransinhas e amizade de noso amigo jorge lomes me tem detido mais mas farei mto por partir antes do natal deus qerendo e tomarei o conselho q Vm me da da besta ser bem grande e q sara a maor q eu achar q não devem de faltar. e lhe agardeso a vm a boa conpanhia de ma anriques e meos filhos q bem sei q adonde vm esta não tenho q aver do deles pois a criou sempre con tanto amor Vejo o enfadamto e a saudes q as vezes vm tem desta tera mas as novidades q de contino hai nela lhas podem tirar q bem he ver toiros de palmas e q tudo vai de mal en pior

Anto da Silveira he portador desta q vai por qa mta prozão porsedida confrome o vulgo de matias fronqas e ontem levarão de D Anto masqarenhas e sam os recolhidos mais de 20 e busqão mtos deus nos tenha da sua mão e nos livre do q não nos sabemos livar asim vai mto despego na tera os do peqado asin q bom he ro ver estas coizas

Sobre o q vm me aviza do q me diserão não creio nada so do credito a nosa boa amizade q e lu da lugar q antre nos não aja desgastos nei enbrulhadas pelo q não se lhe de de nada as cartas a dona ilena e pedro alves mendei no correo escreverão os sapatos de vm mandarei fazer e folgarei q mos fasam tam bons como eu os encomento e levarei en minha conpanhia deus qerendo q entendo no correo q vem estarei ja lestes q me dizem esta ja o juis do fisqo en evora e tratarei de lebar com mta presteza e apertarei com o amigo lemos q ponha suas coizas en orden q se venha e se logo lhe pareser a vm mudarem de esa corte 20 legoas o mais no caminho adonde overmos de pasar q estejam a suas vontades com menos custo o fasam q eu a estimarei mto q esa tera não se pode esperar con tanto custo a q tem poqo cabedal q a min não se me da hir mais 20 legas o mais q nela descansarei ate entrar a primava q venha a conpanhia e vm com os mais hirem adonde se ha de enbarqar pelo q fasam o q milhor lhe estiver fazendo tempo q eu asino en branqo e tudo desnecejira o dou por feito quando estejam a sua vontade e estimarei mto seja nosoSnor en sua gca con toda a conpanhia todos os desta caza se encomendão en vm a baeita pa min levarei mas não sera frizada q hira amasada e a min me dizem hai nesa tera e mais barata e se a over escuzarei mandala

Seu sobrinho e amigo SSimão de fontes

esta vm lembrado q quando tinha prato de peche o ovimos dizer mizerias e fomes de madril q dezejamos de mandar o prato pois entendo eu q estou pior q ate corvão e azeite dezejo mandar e pam amasado q overa todas as somanas q levara carga q fora e 4 dias q ate pam amasado overa de ir asim q eu fiqo con este dezejo q a vontade he larga mas confio em deus q sedo nos dara bonasa


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textText viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSentence view