PT | EN | ES

Main Menu


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS6125

[1831]. Carta atribuída a João António Martins, armazenador de vinho, mas assinada com o nome de José Veríssimo, para Alexandre José Barreto, oleiro.

SummaryO autor pede um empréstimo a Alexandre Barreto e alerta-o para manter o silêncio.
Author(s) João António Martins
Addressee(s) Alexandre José Barreto            
From Portugal, Lisboa, Calçada do Combro
To Portugal, Lisboa, Beco do Jardim
Context

Diversas pessoas, que diziam não conhecer João António Martins, receberam cartas deste, algumas delas assinadas por José Veríssimo. O réu acabou por confessar que todas as cartas constantes do processo eram da sua autoria, apesar de três delas estarem assinadas em nome de José Veríssimo. Justificou ter ocultado a verdade, dizendo que o próprio Veríssimo assim lhe pedira que o fizesse. O réu foi condenado a dez anos de degredo para Moçambique.

Support meia folha de papel dobrada, escrita em duas faces
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Collection Feitos Findos, Processos-Crime
Archival Reference Letra J, Maço 20, Número 9, Caixa 57, Caderno [4], Apenso 2
Folios [4]r-v
Transcription Leonor Tavares
Main Revision Rita Marquilhas
Contextualization Leonor Tavares
Standardization Catarina Carvalheiro
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2007

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Snr Lixandre Je Barreto

Pellas Mtas e Repetidas acuzaçoens q se me tem feito ja não Deveria ter nenhuma comtemplação e eu Deveria ter posto en segurança a Vmce e seu filho pois se me tem sido Denunçiadas por serem Opostos, ao Legitimo e felis Governo de El Rei o Sr D Miguel 1o e athe seus ofeçiais. e por me constar que he hua pobre fama que Vive de seu trava-lho bracalmte he q tenho mandado suspender - todos os esforços que se me tem proposto, e o memo tempo tenho Deixado de cunprir com ma obriga-ção de que estou auturiçado pr el RlRei Meu Senhor q he a qm Dou contas Não bou pezoalmte porq me nao combem a q mando meu Criado q o Unico de meu segredo e por elle me remetera 2. moedas q me são mto necessarias - Pa os annos de El Rei, q pagarei aCresçendo que se me tornar a constar da DesenfriaDura de Lingoa emtão uzarei do Rigor das Leis, e nada de Disculpas porq estou bem afouto de tudo- Resposta Logo pa Deliberação ma e seu Descanço

Seu Vor Joze Verissimo

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textText viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSentence view