PT | EN | ES

Main Menu


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR1152

1576. Carta de Gonçalo Eanes, serrador e homem que vivia de sua fazenda, para Gregório Serrão, padre da Companhia de Jesus

Author(s) Gonçalo Eanes      
Addressee(s) Gregório Serrão      
In English

Request letter sent from Gonçalo Eanes, a sawmill owner, to Gregório Serrão, a Jesuit priest.

The author asks the addressee to try to make his wife join him in Brazil before he dies.

Catarina Dias, a woman who sold glass in the Lisbon market square was arrested and accused of bigamy by the Inquisition in 1576. She had married a sawmill worker, Gonçalo Eanes, twenty years earlier, just before he went to Brazil, where he became rich as a sawmill owner. He lived by his rent and had several sawmil slaves in his house in Bahia. Catarina Dias remarried a paver, João de Medina, while her first husband was still alive and the letter here published was given to the Inquisition by its addressee as a proof of her guilt.

If there is no translation for the letter itself, you may copy the text (while using the view 'Standardization') and paste it to an automatic translator of your choice.

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

snnor

hũa me derão de vosa reverencia na qual bem vejo quanto fez meus neguocios acerqua de minha molher ainda não desconfio da graça de noso snnor nẽ da esmola que vosa reverencia me fara quando ho noso senhor troucer de roma quanto ha largua comicam que a sua me diz não he necesario porque bem sabe de mimha veradade porque eu não desejo outra cousa senão meter minha molher de posse do seu antes de minha morte esta he a verdade sẽ outra ma vontade e portanto quis escrever ou pera milhor dizer risquei de minha mão nisto não a mais que lhe ẽconmendar porque bem sei q ho fara por amor de noso snor eu não escrevo a minha molher porq me não respondeo a carta que vosa reverencia lhe deu eu não mando nada por não ter por quem vosa reverencia pode tomar tudo ho que se ouver mister e eu paguarei aos mercadores todo ho ẽtrse de seu dinheiro e por esta mn minha carta me obriguo nisto e no mais de conprir como se fora escritura prubica ver asinado de vosa reverencia e por aguora não digo mais senão q fico rogando a noso snor que traga a vosa reverencia a esta tera com paz e saUde de como todos dezejamos feita na baia oje 26 de julho de 1576 anos

do seu devoto gonsal eanes

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSentence viewSyntactic annotation