PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

[1824]. Carta anónima atribuída a Hermenegildo José e dirigida a Joaquim de Mira, lavrador, e a sua mulher.

Autor(es)

Hermenegildo José      

Destinatario(s)

Joaquim de Mira                        

Resumen

Joaquim de Mira ignorou a primeira carta de extorsão enviada pelo autor. Nesta segunda carta, o autor ameaça incendiar os bens do destinatário caso ele não cumpra tudo quanto lhe ordena.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snr Joaqumi de Mira Mais Snra Maria Joaqumina
[2]
Ja Com esta sam duas Cartas que lhe Mando Meter debaixo da sua porta
[3]
da promeira não tive resposta
[4]
Aguora veremos
[5]
Snra Maria i Snr Joaqm de mira pola a pormeira farei hmua pequeina desfeita
[6]
agora hi vai segunda Com Mais alguma empertennesia
[7]
Vmce me fara ou favor d emprestar quatro Moedas i dois alqueires de farinha de triguo i hmu alforge cheio de pam i Carne
[8]
tudo isto fara ou favor de no dominguo a qunize do Mes pola Manhe de albardar a sua besta hrime pore tudo no monte das Masquareinhas pra lad de S bras
[9]
se la estiver gente tomara emtregue
[10]
se não estiver Meta tudo dentro do forno q la perto ha de estar qum tome emtregue de tudo isto
[11]
tudo Muito Calado
[12]
se me não fizer isto Antes de Muito tempo lhe Cemo a ramada i palheiro i Madeira i bois i tudo u q eu quizer i talves tir
[13]
heta he de segunda
[14]
eu ja não farei outra
[15]
se me não apraCer no dominguo pulas oito horas quatro Moedas i tudo ou q lhe Mando pidir he de abrazalo Cando Mais não posa Cer abrazalo Com foguo
[16]
i se falar A vida lhi susta

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation