PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

[1824]. Carta de autor anónimo que usava o pseudónimo de Manuel José Fonseca, capitão de quadrilha, para Sebastião Rodrigues, fazendeiro.

ResumenPrimeira carta de extorsão e ameaça recebida por Sebastião Francisco.
Autor(es) Anónimo586
Destinatario(s) Sebastião Rodrigues            
Desde Portugal, Lisboa
Para S.l.
Contexto

Processo relativo a José Viola, que alegou que, ao passar em frente ao Limoeiro, um preso lhe tinha dado 6 vinténs para entregar uma carta a Sebastião Francisco, residente no Alto do Pina, em Lisboa, pedido esse que se repetiu várias vezes. A carta continha ameaças e constituía tentativa de extorsão àquele fazendeiro, pelo que José Viola foi preso.

Soporte meia folha de papel dobrada escrita nas duas primeiras faces e com sobrescrito na última.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Fondo Feitos Findos, Processos-Crime
Referencia archivística Letra J, Maço 255, Número 36, Caixa 661, Caderno [1]
Folios [6]r-v
Transcripción José Pedro Ferreira
Revisión principal Cristina Albino
Contextualización José Pedro Ferreira
Normalización Sandra Antunes
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2007

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snr Savastião Rodrigues
[2]
Munto estimo a sua saude Em Compa de quem Vmce mais dezigar que tamem me ofreco pa lhe aCudir em mtas Couzas
[3]
Sr Savastião Repare para o que dis esa Carta
[4]
Sr Savastião quem esCreve esa Carta a vmce he porque lhe dezeja Algum bem
[5]
Sr eu Sou Manoel Joze da FonCeÇa Cappan de huma Coadrilha de Ladrones q trago debaixo do meu Comando 25 homes somtes pa matarem, Roubar
[6]
agora nesta OCazião prezente aChome nesta Cide adonde me estão, dizendo os meus Companheiros que querem hir a sua Caza mataLo, Roubalo
[7]
e eu por não querer o seu preguizo premeiramte bou oCupalo que Faça Vmce o Favor de me mandar 60 mil res por esa portadora Sem Falta
[8]
isto tendo Vmce Algum amor a vida
[9]
Logo q a portadora lhe emtregue Esta Carta lhe emtregara o dinro pa ella me trazer porque eu aqui Fico a pela Reposta que Vmce me manda n azinhaga da Fonte do Louro
[10]
e não mandando Vmce Ja Este dnro podese Espedir do mundo,
[11]
comFeSeSe ponhase bem com deus q lhe tenho balido a morte
[12]
mas agora hei de eu mismo hir a sua Caza, Coartigalo Os boCados, botaLo o poCo Robar lhe tudo Fanalmte
[13]
a premeira Couza ha de ser a Condeza q tem i Com as peÇas
[14]
Gurolhe por Esta q aqui Faco que Emte ha de ser Frito em azeite
[15]
Fazendo Vmce Algum mal a portadora q eu estou bem perto dispois não se queixe
[16]
esto he a Fazerlhe mto favor porq os meoes Companheiros Ja querião hir matar
[17]
eu não quis nem quero Emte não ver a Reposta q me manda pela portadora
[18]
mandando Vmce Este dnro pode Estar disCanCado q lhe não aCuCede mal nemhum
[19]
Seu Amo Manoel Joze da FonÇeCa Cappam de huma Coadrilha de Ladrois
[20]
que FiCo eu mais 10 a espera da Reposta n azinhaga da Fonte do louro etc
[21]
despois não se queixe de mais nemguem
[22]
aSenei Com as minhas armas e dos meos Camaradas

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation