PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

1797. Carta de Manuel José Ribeiro Pontes, padre, para António José Pereira, seu familiar e abade visitador.

Autor(es) Manuel José Ribeiro Pontes      
Destinatario(s) António José Pereira      
In English

The Inquisition archives contain, apart from the around 40 thousand individual proceedings ("processos"), a collection of scattered charges, for which the Inquisition "Promotor" had to decide whether or not to prosecute. Complaints, confessions, letters by the commissioners or about different stages of each proceedings are some of the document types that can be found in these books. This letter has been kept among such documentation.

If there is no translation for the letter itself, you may copy the text (while using the view 'Standardization') and paste it to an automatic translator of your choice.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Mto Rdo Snr Abbade Vizitador Antonio Joze Pereyra
[2]
Eu não soceguei a respeito daquella nuncia em que lhe falei os dias passados; pelo q escrevi ao Pe Fr Sy-mão pa q me dicesse tambem o seu parecer;
[3]
e como este foi de q fizesse a denuncia, he o q me obri-ga a escrever á Vmce pa a fazer: Pelo q; Denun-cîo á Vmce como Familiar do Sto Officio á hum Re-lligiozo (cujo nome não sei) da ordem de S Francisco ca-puchinho, por lhe ter ouvido proferir algumas propozi-çoens hereticas, cujas propoziçoens vão escriptas na carta incluza, e eu aqui não escrevo por me poupar desse trabalho; aonde tambem acharâ algumas razo-ens q eu dizia á favor do tal proferente;
[4]
e acres-cento às ditas propoziçoens tambem o seguinte; e e, q qdo se falou do peccado original a respeito das mesmas (cuja propozição he a que vay na carta incluza) e q elle disse, q se J Christo nos não resgatasse; ou q se não fosse pela infinita Mizericordia de Ds todos eramos condẽnados; disse o proferente. e tinha obrigação, q con-forme eu entendi, tinha a dizer , q Ds tinha obrigação de nos resgatar.
[5]
E como não sei o Nome do tal pro-ferente, dou pa sinal, q as taes propoziçoens forão pro-feridas no sabbado á noite vespera do Domingo infra octavam Corporis Christi, estando prezentes O Relligiozo Fr João da Cruz Professor de grammatica neste convento de S Francisco da Villa de Barcellos, e Fr Paulo, e mais outro q esteve em parte da conversa cujo nome se não sei,
[6]
e me parece q estava mais algum, ou alguns, e outros, ou Donatos, ou Leigos, ou Relligiozos q passavão.
[7]
E como algumas vezes me tem feito pezo não denunciar áo Pe Mestre Fr Manoel da Comieira Relligiozo, tambem capuchino assistente no Convento da Franqueira, agora o denuncio á Vmce por elle affirmar, q Ds pode livrar áos Condẽnados das penas do inferno.
[8]
Ora se he necessario, q eu va em pessoa, fazer-lhe esta denuncia, ou se he necessario, q eu inquira o nome do tal proferente, ou outra qualquer couza, q seja necessaria pa esta denuncia, assim me avize pa q eu o faça.
[9]
Em quanto a saber o nome do proferente, a eu não ter obrigação de o inquirir, então não o farei, porq me he necessario cautella.
[10]
Estimarei q tenha saude, e me occazioens em q mostre
[11]
sou De Vmce amigo mto obrigado
[12]
Barcellos 19 de Julho de 1797 o Pe Manoel Joze Ribeiro de Pontes

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation