PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

[1818]. Carta de Maria Amália Ferreira de Mures, para Ana Augusta Ferreira de Mures, sua irmã.

Autor(es)

Maria Amália Ferreira de Mures      

Destinatario(s)

Ana Augusta Ferreira de Mures                        

Resumen

A autora escreve à irmã sobre a prisão do irmão e pede-lhe que o ajude.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Manas
[2]
As afliçoes numca nos deixão e o q agora acomtesse he a cauza da nossa total ruina
[3]
foi Joaqm prezo no dia 27 a noute
[4]
acharãolhe armas de toda a coalidade Clavinas Pistolas Balas Polvra facas e outras couzas ma-is q o fazem desgraçado pa toda a sua vida e a nós
[5]
e talves ficaremos sem ter nada q comer autoarão-lhe crime de Ladrão e facinora
[6]
ve tu em q serconstancias elle e nós estamos
[7]
A primeira coiza q deves fazer he somir tudo o q podéres os Bois e B Lembrame
[8]
será bom o trazelos o Ho-mem q leva esta Carta e se vendem ou se fáz delles o q tu detremires
[9]
emfim acautella as couzas Com tempo de maneira q qdo for o soquestro nada ache em Caza tan-to em Pombal Como em Salreo
[10]
Nesta Cide se tem fei-to todas as deligencias pa se atalhar algumas couzas
[11]
porem não quer o Jois do Crime fazer comtra justi-ça
[12]
agora a sua redenção he se as Justeficaçoes vi-éssem a seu favor porq os Menistros daqui as mandarão pedir os da Bemposta e dessa Villa
[13]
ve tu se o Jois de fora paça a Josteficação a favor de Joaqm
[14]
porem a-pezar de tudo á de ser Joaqm remetido debaixo de pri-zão pa o Porto e lla livrar-se de hum tal Crime q pro se- neceçário gastár qto temos
[15]
aqui está as bellas no- Noticias q tenho a darte
[16]
agora faras o q bem te par-cer
[17]
qta tem sido ma aflição não te posso expricar pois conhesso o prigo em q estamos
[18]
prenderão a Joaqm e a outro Compopanheiro e dizem herão 6
[19]
porem os outros fugirão
[20]
as Bestas estão em depózito
[21]
julgo se vendem
[22]
o dinro q tra-zia tãobem lho tirarão
[23]
está nosso irmão reduzido a ul-tima mizeria
[24]
eu nada lhe posso mandár ve tu se mandas alguma couza ou galinha asada ou coelho e camizas pa vestir porq até a roupa q trazia tu-do lhe tirarão
[25]
aDs menina
[26]
27 de Julho
[27]
Do q se deve tratar he de aparcer dinro
[28]
ve como se á de aranjar q na prezente ocazião he o q he neceçario
[29]
e eu nada posso aranjar

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow view