PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

[1631]. Carta de Gaspar Rodrigues, tratante, para Isabel Rodrigues, sua mulher.

Autor(es)

Gaspar Rodrigues      

Destinatario(s)

Isabel Rodrigues                        

Resumen

O autor confidencia algumas notícias que vai sabendo por comunicação com outros presos. Dá algumas recomendações e procura tranquilizar a sua mulher quanto aos efeitos da passagem pelo tormento.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
fiquo mto agastado de ver q tinhais no pẽnsamẽnto falar ẽn vosas irmas nen qunhados pois vedes o mto q nos ĩnporta não falar ẽn ningẽn q la fiqou
[2]
não se vos meta ẽn qabesa q não avemos de sair deste auto porq estou ũn cõnpanheiro q esta aqi a seis anos e dis q avemos de ir os tratos mas q avemos de sair
[3]
e tanben o perguntei os vizinhos
[4]
dizẽn q se qa fiqou esa sor q dezeis q he por estar conplẽsiada sua irmãm q portanto fiqou qa,
[5]
vosas irmas não estãn cõplensiadas cõvosqo q se istiverão ouveranas logo de prẽnder
[6]
não tinhais de ver dor os tratos q nen todos saĩn alijados
[7]
q ds me dara qe vos manter he não fasais oitra couza por vida minha
[8]
dai ẽn migel lopes e suas fillas, nas pasavaas nas antoniqas no manqo de lamego e na mai
[9]
he minha mai e tia sãn qe asin o fis
[10]
he não vos agasteis q ds he mto grande q nos a de acudir
[11]
pecovos mto q comais porq se adoeserdes nestas casas não vos poso faser hapistos nẽn rogarvos q comais
[12]
has soas snras conpanheiras por min lle beijai as maus q ds as liver he a min me chege a tenpo pera lle pagar parte dos mimos q vos fazẽn
[13]
dizei a srã q fiz dilijensia pola jente q dis mas q não estãm neste coredor nẽn ha qen de novas deles
[14]
pecovos mto cõn licensa das senhoras conpanheiras q a este me respondais dizendome o qe detriminais e das novas q vos derão do porto e qe erão os sinais onde mandastes a carta e o passamane he a pripituana
[15]
e não me faleis ẽn não qreer tomar noso coñsello q o q esta de ds não a fezir
[16]
os traballos naserão pa as primeiras he tudo ds a de remediar
[17]
fiansa nele q he bon pai
[18]
pergũnta meu coñpanheiro anto vidal de vizeu se esta ahi alguma srã q lle de novas da sua jente ou de luis de orta seu pai q ele esta ẽn livermento
[19]
isto ds vos liver como eu ei mister

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation