PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualización por frase

1565. Carta de Pero de Borgonha para a Abadessa do Mosteiro de Chelas.

Autor(es)

Pero de Borgonha      

Destinatario(s)

Anónima56                        

Resumen

O autor dirige-se à Abadessa do Mosteiro de Chelas dando conta do interesse num terreno, entre outros pedidos.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snõra
[2]
A mynha ma desposisão o nojos me deu luguar ha escrever esta a vs por domde lhe não pude yr beijar as mãos
[3]
e A de sabr vs que omte me mandou dizer o Syniqo da cidade que bento frz pedia ha camara ho muro das casas de vs em que dava cruzado de foro por elle não paguamdo mais de três vymtẽs a cidade a fim de vs depois lhe dar o aforar a suas casas polo q elle quysese porq com ele ter o muro fiquão as casas de vs não valemdo nada he as suas muito boas
[4]
heu mamdey V o comtrato com leterado he achey que esta vaguo o muro porque ho dia que avagarão as casas avaguou ho muro porque se lhe acabarão as vydas
[5]
e q o pode dar a cidade a quem quiser com as bemfeitorias q tiver ftas e esta defemdemdo ho comtrato q o não hoforẽ a mosteyro nenhũ
[6]
por domde peço Lca a vm pera pedir a cidade q me emprazem este muro ou me vemdão o foro deles
[7]
mas dizem me q hera necesaryo ter me vs o prazo feyto porq tiria mays rezão pera ho pedir
[8]
dizem- me que bem pode vs fazer o prazo sem autoridade do outro mostro com não habayxar o foro em que estão
[9]
heu quero fazer servico a nosa srã de as tomar aforadas em três vidas nos desaseis mil res q estão do lugar e deRibalas e comcertalas a mynha custa e compralo foro aha cidade ou aforalo a mynha custa
[10]
e pera ysto a mister seiscemtos myl res
[11]
he alem de tudo Ysto quero fazer servico a des e a casa de cem mil res d esmola com me levar em comta o q me deve a casa
[12]
ysto não o faco por emterese q espere das casas senão por servir ha nossa srã e a vs e tambem por emparar hũa vyuva três orfaãs q esta nelas (q minha sogra q samta gloria aja casou e criou demtro nelas) e da criacão de minha molher
[13]
q abasta este serviço de des pera q seja tudo em seu louvor
[14]
ysto a vs de mamdar / dar ordem com toda ha brividade que ser poder polo priguo q a na tardamca acerqa do muro e tambem das casas q o fromtal q vs deu lca q se fizese não se estuverão os oficiais a bolir elle porque se veryam todas ao chão
[15]
e temdome vs fto o prazo comecarey de as deRibar este verão e fazer obra porq as cousas de nosa srã quero q na mynha mão valhão mais e não menos porq ella espero em dẽs q ella seja mynha herdra dos bẽs que dẽs me deu
[16]
o portador desta e mel pacheqo gemro da viuva q esta nas casas e como fio meu por elle me pode vs mandar a reposta
[17]
e comtanto noso sõr pospere vida e estado de vs em louvor de nosso sõr
[18]
de lxa 7 de Junho de 1565 beyjo as muy manyficas mãos de vs po de verguonha

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation