PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS6165

1829. Carta de António José Martins Salgado, lavrador, para João Baptista de Sousa, cirurgião.

ResumenO autor repreende João Baptista por ter faltado a um prometido encontro.
Autor(es) António José Martins Salgado
Destinatario(s) João Baptista de Sousa            
Desde Portugal, Lisboa
Para Portugal, Lisboa
Contexto

A Intendência Geral da Polícia enviou um aviso à Guarda Real, onde se declarava que António José Martins Salgado tinha em seu poder três livros in folio furtados (dois encadernados e um em papel pintado, contendo várias pinturas, todos escritos em língua italiana) da Biblioteca do Real Mosteiro de S. Vicente: «Recopilação de Diversos Monumentos Antigos», «Primeira Centúria das Estampas Iluminadas e Não Iluminadas por Buchoz», «Primeiro Tomo das Antiguidades de Herculano». Feita a busca na possível morada do suspeito, não se encontraram livros nenhuns, mas antes quatro cartas que continham matéria considerada "suspeitosa". No processo, percebe-se que António José Martins Salgado e João Baptista de Sousa estiveram envolvidos no furto dos livros e em celebrações de magia sobre eles, envolvendo um padre. Percebe-se também alguma confusão entre as obras furtadas e o Livro de S. Cipriano. No processo há uma série de testemunhos relacionados com crenças mágicas.

Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Fondo Feitos Findos, Processos-Crime
Referencia archivística Letra J, Maço 192, Número 23, Caixa 512, Caderno [2]
Folios [10]r-v
Transcripción Leonor Tavares
Revisión principal Rita Marquilhas
Contextualización Leonor Tavares
Normalización Catarina Carvalheiro
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2007

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Snr João Bauptista

Não sei qual seja a desCulpa que Vme quer que lhe pois esto he demais ágora não tem desCulpa alguma pois fasme Vme hir emvergonar á hum Convento e aRanjar hum Padre que hinda que venhão trinta não vem nenhum milhor que este Vme permeteme a mim de vir i dame a sua mão de amigo para não faltar e o despois fasme destas, e pormetemdo ao Pedro que vinha , i ate agora estou a sua espera isto não he asim de hoge não ha de pasar qdo não Eu mesmo áCabo tudo em menos de 2 menutos Pois os Homens são sómente para as oCaziois, se histo he para fazer decesperar decesperado ja Eu estou aqui tenho estado a sua espera todo dia e toda a noite i agora foice o Padre inbora ápeçar de não viu no q não lhe mostrei porq dicelhe q se não foce hoje q então nada hera etc mandeme dicer a q horas esta CáCoC Con o Padre sem falta Pois Eu ja lhe despus a mas circonstansas etc espero a Resposta etc

Salgado

Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textText viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewVisualización por frase