PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Facsimile view

1669. Carta de Afonso Rodrigues Mendes para Pedro Ferreira, do Santo Ofício.

ResumenO autor pede vários favores e produtos ao destinatário da carta, nomeadamente açúcar e a venda de anéis de vidro, agradecendo o envio de escorcioneira. Também acusa várias pessoas em Portugal de práticas de judaísmo.
Autor(es) Afonso Rodrigues Mendes
Destinatario(s) Pedro Ferreira            
Desde França, Bordéus
Para Portugal, Lisboa
Contexto

Processo relativo a António Rodrigues, contratador, natural do Mogadouro, preso pela Inquisição de Lisboa em 1672 por judaísmo. As duas cartas contidas no seu processo foram entregues na mesa do Santo Ofício pelo familiar Pedro Ferreira, seu destinatário, por conterem acusações de judaísmo contra António Rodrigues e outros familiares seus que, perseguidos pela Inquisição, tentaram fugir do reino. Foram escritas por um conhecido de Pedro Ferreira, Afonso Mendes Rodrigues, que estava a viver em Bordéus.

No cabeçalho está uma anotação processual: «Estes dois escritos entregou em Meza o familiar Pedro Ferreira em 23 de Maio de 1672; Barbosa». Na margem da décima linha de texto do verso, o anotador acrescentou «Réu», por o texto conter o nome do réu acusado no processo.

Soporte meia folha de papel escrita em ambas as faces.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fondo Inquisição de Lisboa
Referencia archivística Processo 5412
Folios 28r-v
Online Facsimile http://digitarq.arquivos.pt/details?id=2305435
Socio-Historical Keywords Maria Teresa Oliveira
Transcripción Mariana Gomes
Revisión principal Maria Teresa Oliveira
Contextualización Mariana Gomes
Normalización Raïssa Gillier
Anotación POS Raïssa Gillier
Fecha de transcipción2016

Page 28r > 28v

Jhus Bordeos 20 de Julho 1669 Señor pedro frra

Resebi ha de vm de 17 de mayo muito retardada que com as duas Caixas de escorçoneira não resebi quarta de vm era muito boa muita m me fara vm Em me mandar outras quaremta Libras na pra q vier para Esta semdo a melhor que for pussivel de talos grossos he bom asuquar he afirmo a vm que quando Estava nesse Reino ho mais que custava era 150 reis a Libra os aneis de vidro me fara vm m de vemder que pelos 90 reis por groza que vm me aviza acho bem minha comta asim que me fas muita m em mos vender he seu prosedido me remetera na pra que vier para Esta Em ho melhor tabaquo que lhe for pussivel que sendo bom he fazemda he mao não presta com esta sera huma Letrinha de 3 U com que aqui asisti he com algo mais a hum religiozo da ordem de são fransisquo da provinçia de portugal morador Em o comvemto de são fransisquo da sidade sobrinho que disse ser de paulo leitão sobre quem a paço he como eu he todo mumdo tem tanto conhessimto de dito Leitão he a nessesidade que dito religiozo represemto lhe asisti folgarei a page que os que vivemos destas partes cristaos qualquer couza nos fas falta perdoe vm Em ocupalo Em estas Em estas ninharias mas tãobem vm partisipara diante de de Deos desta obra que nestas partes os mais deles se zombão dos Religiozos bejo a mão a vm pela m que me fes Em cobrar a Letrinha dos 8 U- duas tenho Escrito a vm por via de Dom fransisquo pais ferreira Comisario do santo ofiçio he cappelan fidalgo



Text viewWordcloudManuscript line viewPageflow viewVisualización por frase