PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS2043

[1754]. Carta de Brásia Maria, vendedeira, para Lourenço António Espínola, soldado.

Autor(es)

Brásia Maria      

Destinatario(s)

Lourenço António Espínola                        

Resumen

Brásia Maria escreve ao marido a contar o motivo pelo qual não o tem ido visitar e a mostrar-se desesperada com a separação.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Meu querido Lourenso e conSolasão dos meos tristes sentidos

eu sabe Deos a Ancia e aflisaao q continuamte estou padecendo principalmte na terrivel imaginasão de que me faltas e no rigorozo Cudado de que te concidero auzente o maior motivo eu não puder conceguir o que per tantas partes tenho proCurado dar remedio ao meu padecimento pois tanto em proCurar valias como todos os meios posiveis pa que tu não vivas mais tempo auzente de quem sabe sentir o tirano rigro desa rigoroza auzencia e tirana separasão, porem espero em Deos pois todo helle se dirige a fim de que eu não padeça nem tu vivas auzente da ma Compa nem separado da ma vista tenho hido não huã senão varias vezes a Caza do marquês de abrantes nunca tem sido em oCazião que elle me queira falar ahindda continuo para ver se de algua oCazião pode cer o bom despaxo q eu espero pois estou em dizer que mais emtereço eu no teu Livramto do que tu propio pois vejo o grande desamparo em que me acho aha huns poucos de dias bem doente e sem embargo diso padesendo por todos os meios e por todos os caminhos o que mto receio pois visto o meu desamparo se me vir que a molestia Continua não terei mais remedio que hir pa o hospital pois ja que não tenho ninguem apelarei para os fieis de Deos; e mto mais me ademira ver a desesperasão em que toca o ultimo fim da tua Carta a teres rezolusão de morrer e deos não quer a morte do pecador, nem eu tampouco a tua porque te dezo mta vida em ma compa e para ma consolasão e alegria Deos te de a liberdade e o mesmo Sr a mim me Conceda a gloria de te ver Com saude mais do que eu não logro que suposto agora não são oCaziãoins de relatar queixas sempre to quera dizer para que saibas o porq ja não tenho hido o que farei em podendo pois nunca me esqueso de ti etc

desta tua Mulher que mto te adora e venera sentindo a tua auzencia Brazia Maria

Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewVisualización por fraseSyntactic annotation