PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS0031

1832. Carta anónima dirigida a um cabo da Guarda Real da Polícia.

ResumenO autor denuncia um caixeiro de armazém de vinhos, acusando-o de se manifestar contra o governo de D. Miguel e de possuir um exemplar da Carta Constitucional.
Autor(es) Anónimo3
Destinatario(s) Anónimo4            
Desde Portugal, Lisboa
Para S.l.
Contexto

Vivia-se o reinado de D. Miguel, rei que desenvolveu um vasto aparelho de espionagem (visível aliás na correspondência para o ministro da Justiça) e cujos métodos repressivos ficaram célebres. O ambiente de perseguição encheu de presos as cadeias de Lisboa e muitos aí pereceram, como os liberais Pedro Melo Breyner e Manuel Borges Carneiro. Mais modesto era o réu deste processo: a Guarda Real da Polícia, depois de recebida a denúncia anónima aqui publicada, prendeu prontamente o denunciado, Manuel Luís Pereira, caixeiro de armazém de vinhos (taberneiro) e deu parte dele à justiça. No processo está incluído, como prova sobre a qual o réu foi interrogado, um exemplar da Carta Constitucional (Lisboa. Na Impressão Regia, 1826). O processo inclui um documento ("Parte da Guarda Real" de 8/1/1832) em que se relata a atuação dos guardas: “Em consiquencia de huma annonima que hontem foi emtregue ao Commande. da Guarda da Praça da Figra. pr. hum indeviduo q. logo se retirou, na qual o delinqte. é acuzado de dezafecto a sagrada cauza da rialeza, o fiz prender hoje pelas 6 horas da mmanhaã no mencionado armazem, pelo sobredº. sargento, cabo, e soldºs., sendo-lhe emcontrada em hum armario q. tem no indicado armazem a carta constitucional impreça, a qual como a mmª. annonima, e delinquente, faço apprezentar a Va. Sa. q. determinará o que for servido.” O réu reclamou sempre a inocência, mas teve por pena sair de Lisboa e recolher-se à sua terra de origem, Valadares.

Soporte quarto de folha de papel não dobrado escrito no rosto e com sobrescrito no verso.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Fondo Feitos Findos, Processos-Crime
Referencia archivística Letra M, Maço 9, Número 7, Caixa 19, Caderno [2]
Folios [1]r-v
Transcripción Sara de França Sousa
Revisión principal Rita Marquilhas
Contextualización Miguel Cruz
Normalización Ana Luísa Costa
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2009

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Discoverta de hum Malhado na travessa da palha Almz de retem No 24 para mais provas de verde ainda a pauco que Sahiu do limoeiro ainda mais Logo que Seja prezo Sera Revistado que dentro na Sua Carteira tera huma Carta de Constuicão Carta mto mto Contra u nosso governo i contra A religião. Logo que este seja prezo direi eu quem sou amais tambem quem he u tal amigo Sera o Sr Cavo da guarda Obrigado a emtregar Ao Senhor Comandante he u do Manoel Luis Pera

Lisboa 6 de Janro de 1832

Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewVisualización por fraseSyntactic annotation