PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS1057

1603. Carta de Afonso Gonçalves, lavrador, para o seu pai, Gaspar Gonçalves Tristão, também lavrador.

ResumenAfonso Gonçalves escreve ao pai a dar-lhe notícias da sua vida na prisão e a pedir-lhe que o ajude no seu livramento.
Autor(es) Afonso Gonçalves
Destinatario(s) Gaspar Gonçalves Tristão            
Desde Açores, São Miguel
Para Açores, Ilha Terceira
Contexto

Processo relativo a Afonso Gonçalves, filho de Gaspar Gonçalves Tristão, lavrador, natural da ilha Terceira e morador na ilha de Santa Maria. Afonso Gonçalves casou pela primeira vez com Maria Jácome, também natural da ilha Terceira, e casou segunda vez, na ilha de Santa Maria, com Catarina Faleira. Para conseguir contrair o segundo matrimónio disse que se chamava Bartolomeu Fernandes, que era solteiro e natural do Porto. Mais, para confirmar o seu estado civil, apresentou certidões falsas. Afonso Gonçalves confessou-se culpado neste processo e foi condenado ao degredo por cinco anos para as galés, bem como a ser publicamente açoitado.

Soporte uma folha de papel dobrada escrita nas duas faces do primeiro fólio e no verso do segundo.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fondo Inquisição de Lisboa
Referencia archivística Processo 3983
Folios 25r-v e 26v
Transcripción Ana Rita Guilherme
Revisión principal Mariana Gomes
Contextualización Ana Rita Guilherme
Normalización Liliana Romão Teles
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2008

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

sor pai

alen de ter houtra escrita tornou a pasar a he por esta torno a encomendar a Vm heste meu negosio he remedio de minha soltura ho sor bispo cudo que me quer aremeter a lisboa pa me la sentensuaren não quer tomar conhesimto deste meu negosio pesame Vm favor dos padres da companhia pa o sor bispo tomar conhesimto de meu livramto e os padres acabão coãto queren com ele ca escrevi a molher que me venha pedir ao bispo Vm a favoresa a enbarcarse con seu fo he a fa me recolhera Vm pa caza ate noso sor me levar a esa sua he sendo cazo que me mãoden pa lisboa pa ir conmigo por iso folgarei mto que venha na outra carta conto todas as nesecidades minhas a Vm he por ela se regera o que ey mister não poso tãoto hencareser a Vm mais trabalhos que mais não tenha agoardo que Vm me mãode todo ho remedio pa me livrar he sera na primeira pasage porque cudo que não hira pase que me não mãoden não tomãodo conhesimto deste meu livramto a minha mai he a Vm me encomendo na bensão de ds he nas suas a minhas yrmas mtas encomendas que noso sor mas deixe ver como heu dizejo ha meus e ca tive novas deles João gez que hera alferes he que ãbos ãodavão de saude esta tomen, por ora por não ter tpo ese não escrevu se estiver na tra o farei noutra pasage ou donde estiver ha meus tios baltezar glz me de Vm mtas encomendas he o mesmo a izabel glz sua molhe he a mel gez he a sua molher he a todos meus primos he primas he coãtos por min perguntaren se oferese mais noso sor bensa a Vm he a todos desa caza en sua goar Feita nesta cadea da ponta delgada da ilha de são migel oje 2 d agosto de 603 a fo de Vm afonso gez


Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewVisualización por fraseSyntactic annotation