PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS4017

1691. Carta de Manuel, fugitivo, para o seu pai.

ResumenO autor, fugitivo, escreve ao pai dando notícias para toda a família.
Autor(es) Manuel
Destinatario(s) Anónimo384            
Desde Portugal, Feira, Sandim
Para S.l.
Contexto

A presente carta familiar é escrita por uma personagem incógnita, da qual se conhece apenas o nome próprio, Manuel. Pelo texto, percebe-se que Manuel é um fugitivo.

Dentro do fundo do Tribunal do Santo Ofício existem as coleções de Cadernos do Promotor das inquisições de Lisboa, Évora e Coimbra. O seu âmbito é principalmente o da recolha de acusações de heresia. A partir de tais acusações, o promotor do Santo Ofício decidia proceder ou não a mais diligências, no sentido de mover processos a alguns dos acusados. Denúncias, confissões, cartas de comissários e familiares e instrução de processos são algumas das tipologias documentais que se podem encontrar nestes Cadernos. Quanto ao crime nefando e à solicitação, são culpas que não estão normalmente referidas nestes livros.

Soporte carta escrita em meia folha de papel dobrada, com o texto nas duas primeiras faces e o sobrescrito na última.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fondo Inquisição de Coimbra, Cadernos do Promotor
Referencia archivística Livro 314
Folios 221r-v
Transcripción Rita Marquilhas
Revisión principal Cristina Albino
Normalización Rita Marquilhas
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2000

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

meu pai

Eesttimarei que hestas duas reguas ho aChe Com saude Como pera mi desejo he Companhi de meus hirmaus he da mais gente de Casa heu fiquo Com saude garCas sejam dadas a deos pero mas pai nam ttẽnha pena por mi porque ha mi nam me faltara a mereCe de deos a meu hirman felipe me le dara mutos reCados e a minha hirmam barnqua he a matias he a he a maria he ana a todos mutos reCados Com garndes desejo de os ver e Com histo nam os hefado mais deos nos liver de quem nos mal quer

deste seu filho que sua e ama manoel

nam se saia de sua Casa nem he nimgem porque oje estou aqui maali heses rapazes demele mutos reCados he tenhame Conta Com e que deos lho paguara que heu nam sei quem fiquou ni quem nam he nam tenha pena por mi porque hen samdim me deram Camisa me lavaram a que teha diego de samdim lhe dira donde fiquo eCa heu fiquo muto valente oje dia sam de dos do ano d mil 691 a


Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewVisualización por fraseSyntactic annotation