PT | EN | ES

Menú principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Facsimile Lines

[1788-1790]. Carta de Nicolau de Santo Agostinho, padre, para Ana Vitória.

ResumenO autor escreve a Ana Vitória começando por se justificar pelo facto de já não escrever há muito tempo, dizendo que havia perdido dois dos seus correspondentes e então também escrevia menos para ela. Aconselha-a em relação à sua conduta religiosa e orienta-a para o fervor e a escorreição na fé.
Autor(es) Nicolau de Santo Agostinho
Destinatario(s) Ana Vitória            
Desde Portugal, Faro
Para Portugal, Setúbal
Contexto

O mestre frei Nicolau de Santo Agostinho foi acusado pela Inquisição de Lisboa por ter solicitado a Ana Vitória, a destinatária das suas 13 cartas. Neste processo, diz-se que o padre juntou por várias vezes a sua cara à de Ana Vitória e que também lhe apertara a mão (fl. 2r). Como estas ações eram feitas no confessionário, e como assim se comungava sem ter efetuado a confissão, chegariam estas para formar delito. A denúncia formal de Ana Vitória surge no fólio 3r e contém o seguinte (edição e pontuação normalizadas, abreviaturas expandidas): "Para satisfazer a Lei da Santa Inquisição denuncio o Padre Manuel Francisco Nicolau de Santo Agostinho Provincial de São Francisco, o qual no confessionário por vezes uniu a sua cara com a minha de propósito e me apertou a mão, mas não passou a mais. Eu, Ana Vitória, filha de António Pinto, marítimo, e vivo com meu pai em Setúbal, na freguesia de Nossa Senhora da Anunciada. 27 de junho de 1789...". Apesar de ser acusado naquele testemunho de Ana Vitória, nos interrogatórios (fl. 8r e seguintes) a religiosa afirma não desconfiar de segundas intenções nas sessões de confissão. Afirma também que o padre sempre se havia comportado respeitosa e honestamente, mesmo tendo estado a sós com ela diversas vezes. Comprova essa conduta, até porque no domínio privado da correspondência o padre demonstra ter para com ela um bom comportamento. Ana Vitória disse ter feito o documento por sentir que devia certificar-se de que aquela ação de juntar a cara não era ilícita (fl. 8v), depois de ter comentado este facto com outro frei e este lhe ter dito que deveria denunciar, mas que ele próprio não tinha má opinião das ações do frei Nicolau. Várias testemunhas no bairro do Troino, onde morava a solicitada, foram inquiridas e todas atestaram a boa-fé e conduta de Ana Vitória, pelo que a Inquisição acreditou na palavra da mesma. Cinco testemunhas ligadas à Ordem de São Francisco foram também inquiridas e todas elas atestam a boa-fé e conduta do mestre frei Nicolau de Santo Agostinho, alegando que apenas os religiosos mais dignos conseguiriam o cargo de vigário confessor das freiras do Convento de Jesus em Setúbal (fl. 45r). Segundo os dados de catalogação deste processo por parte dos serviços do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, o documento está incompleto.

Soporte meia folha de papel não dobrada escrita no rosto.
Archivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fondo Inquisição de Lisboa
Referencia archivística Processo 2817
Folios 14r
Online Facsimile http://digitarq.arquivos.pt/details?id=2302748
Transcripción Mariana Gomes
Contextualización Mariana Gomes
Normalización Catarina Carvalheiro
Anotación POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Fecha de transcipción2014

Page 14r

[1]
J M J

Minha filha em Jezus Christo, este Sr te assista sempre com a sua divina graca,

[2]
e te mto do seu amor, pa q fortalecida com este possas perseverar no seu sto servi-
[3]
ço. Como ha tempos te não escrevo, persuadome q hades estar ja desconfiada, e se terão ao
[4]
gmentado, ou avivado mais os pensamtos q na tua me dizes, q tens tido; porem eu não te-
[5]
nho escrito; porq agora não escrevo ja pa o Convto pois a Religioza, q me escrevia todos
[6]
os Correyos, ja se deixou disso, e não me escreve, escrevo ao Capellão Fr José de são
[7]
Pedro de Alcantara algumas vezes q elle me escreve, e como este correyo lhe escrevo,
[8]
por isso faço esta, pa te Recomendar o cuido q deves ter em fazer a tua oração, e vizitar
[9]
algumas vezes a via sacra, e como agora vem a Quaresma deves ter mto cuido com o jejum
[10]
atendendo á tua debilide e fraqueza, e não jejuando qdo te sentires demaziadamte
[11]
fraca; porq o preceito da Igreja he suave, e não obriga com Rigor. Não sei o q tens
[12]
feito a respto de confissoens, e comunhoens, pois me não dizes couza alguma nesta ma
[13]
teria, porem sempre te Recomendo, q as faças como te deixei determinado, e q deites fo
[14]
ra escrupulos, q não servem, senão pa afligir, e atormentar. Confia em ds q he Pay,
[15]
e tem mto das almas aflictas, e atribuladas; e assim chegate pa elle, busca-o com
[16]
ancia, ama-o com fervor, e entregate toda nas suas mãos, q elle te ajudará, e defende
[17]
de teus inimigos. Reziste com valentia a todas as tentaçoens, e não desfaleças no
[18]
combate. Adverto q não se alcanção premios senão por meyo de trabalhos; e a Bem aven
[19]
turança eterna se alcança por meyo de tribulaçoens. He precizo sofrer estas com paci
[20]
encia, e levalas com conformide pa q aproveitem. Jezu Christo padeceo mto por amor de
[21]
nós, he precizo q nós tãobem padeçamos alguma couza pello seu amor, pa assim satisfazer-
[22]
mos pellas nossas culpas, e agradarmos a N Sr Cuida tãobem em não fazer peccados, e se
[23]
cahires em alguns, humilhate, confessate delles e emendate; Podes estar certa q N Sr não
[24]
te falta, nem te ha de faltar com a sua graça, aproveitate desta, e sêlhe fiel, e agora
[25]
decide, q assim o teras sempre da tua pte e te sustentará com a sua Omnipotente mão.
[26]
Eu tenho passado bem, graças a ds e estou esperando o q fazem de mim pa Mayo. N Sr
[27]
disponha o q for mais do seu agrado. Encomendame a este sr q te gde como mto e mto dezejo,
[28]
e abraze no fogo do seu amor.

[29]
Faro vinte e quatro de Fevro
[30]
Fr Nicoláo.

Esta carta estava feita pa hir o correyo passado; porem como não pude escrever

[31]
ao Religiozo, não a mandei; e como agora recebi outra tua, por isso abri a q tinha
[32]
feito pa te dizer q tenhas paciencia com o teu trabalho, e q te vás acomodando com o P Fr
[33]
Pedro, suposto não teres outro, e elle te fazer a caride de te ouvir. Desvanece os pensamtos que
[34]
tens a respeito de mim, porq são falsissimos. A ds q te gde como mto dezejo.

[35]
Faro dois de Fe
[36]
vereiro etc
[37]
Fr Nicoláo.

Text viewWordcloudFacsimile viewPageflow viewVisualización por frase