PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

[1822]. Carta de Gertrudes Rosa da Conceição, presa, para António José Ferreira, caixeiro, também preso.

Autor(es)

Gertrudes Rosa da Conceição      

Destinatário(s)

António José Ferreira                        

Resumo

A ré, presa, informa o amante das condições em que se encontra e do modo como o processo decorre.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Com grande gosto recebi a cua carta e istimei mto o Vmce estar tão confortado e juntamente lugrar caude perfeita pois he o q a mim me falta
[2]
eu ja estou milhoor
[3]
ja me alevanto a 3 dias com toce mas estou mto fraca
[4]
cintome mto disvaida da cabeca e trago muito fastio
[5]
não poso comer nada apetece
[6]
pareceme q aqui acabarei a vida mas iso he o mesmo
[7]
como Vmce tenha caude ainda q eu mora não inporta
[8]
Vmce ca fica
[9]
Vmce he q me ha de d ispicar a respeito do q me dis
[10]
estou ademirada porq o meu Joze Me dice q Vmce estava mais atrazado do q eu porq o seu agravo ainda cabado tinha hido pa a relacão e o meu ja la tinha hido e não foi aseito
[11]
e tornou o letrado agravar e cahio cem agravo
[12]
e agora esta os papeis na mão do meu letrado pa contradizer o libelo
[13]
asim não cei de mais nada
[14]
fesce hum requerimento o intendente pa eu dar huma gustificasam da ma conduta dele
[15]
dei 8 tistem tistemunhas contra ele mas o intendente dice ce foce notro tenpo q hele havia de vir prezo mas agora não porq hum home podia armar crime a molher mas a molher não pode armar crime o home
[16]
asim não sei q sorte cera a minha
[17]
senpre me concedero disgracada porq ele com o meu me fas mal e ha de fazer o q poder porq tem com q mo fasa
[18]
ele dis q eu e Vmce avemos de hir degradados anbos
[19]
ce focemos anbos pa o mesmo citio viviaz mais alegre de padecermos heu por Vmce e Vmce por mim
[20]
castefaziame com o vermos hum a outro
[21]
mas por disgracia minha não cera asim
[22]
ademirame o Vmce ja estar a dar testemunhas
[23]
eu ainda não as dou
[24]
ainda os papeis an de hir pa o letrado dele
[25]
ele ha de agora justificar o crime e o depois eu hei de dar testemunhas
[26]
heu estava capas de ver ce metia pela merzircordia porq me dizem q pela mezercordia lhe fazem dar o perdão mas o meu filho dis q não
[27]
asim eu disto não cei nada
[28]
não cei o q hei de fazer
[29]
estou por tudo quanto me dizem
[30]
o alvara ja requeri 2 vezes
[31]
cempre emdeferido
[32]
agora dicerão q me havião de requerer hum da relacão q ce dão 4 fiadores o crime
[33]
asim veremos
[34]
como nos não temos crimes cempre han de haver fiadores
[35]
eu não tenho medo de dar quantas justificacois foce porq sou mto obrigada a todos porq todos dizem q ate poi as maus no lume por mim e q ele he hum patife q percizava mil vidas fora e todos são contra ele
[36]
mas como ele tem dinheiro tudo compra
[37]
eu agora quero ver ce mudo de iscrevão pa hum q dizem he mto bom chamado Ancelmo
[38]
ele mandou hir meu Pai debaixo de prezão pa o menistro o fazer acinar hum termo de responcebilidade de vida
[39]
ele não quis
[40]
asim o q eu queria q me mandace dizer ce Vmce tambem vem aqui o patio paciar porq como estou na informaria queria velo
[41]
e ce não poder cer veiga ce arenga com ese cogeito q esta ahi na cala em hum quarto q ele tem ca a molher na informaria
[42]
ela he mto minha amiga por iso hela pede o marido pa lhe levar as minhas cartas e trazer as cuas
[43]
veiga ce vem ca hum dia com ele acima
[44]
ele xamace João Joze Nogra de cetubal
[45]
he muito capas
[46]
as cartas não paca da mão dele poq o meu Jacinto tenho medo dele porq Vmce bem cabe q he hum doido
[47]
mandeme dizer o q lhe intregou onte e ce iscreveu por ele

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation