PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1824. Carta de Bernardo de Azevedo, mercador, para João Chaves.

Autor(es)

Bernardo de Azevedo      

Destinatário(s)

João Chaves                        

Resumo

Bernardo de Azevedo justifica-se perante o destinatário pela compra de um cetim roubado.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snr João Xaves
[2]
Eu foi o que vendi o setim aquele Homem que o snr Mando Prender i a mim mo deo Bruno e sua Molher Claudina em comta de cuatro corzados Novos ficando os ditos sujeitos a deverme 700 reis
[3]
esta fazenda comprava eu. Para forro dos chapeos
[4]
porem sendo Moito chiio de noduas o vendi ao dito Prezo
[5]
fis esta compra em Boa fé pois foi meo Vezinho dois annos e por iso Não descofiava dele
[6]
por aver nota dele i sabendo eu da Prizão do dito Prezo No dia 15 do corrente as 7 Horas da Noite Mandei chamar a guarda Rial da Poliçia para Prender o dito Bruno i sua Molher que estavão em caza i o Cabo da garda dixe não o podia prender sem ordem do Menistro
[7]
Hoje 18 do corrte as 7 oras da Manha foi Ver se Ele negava a dita venda
[8]
porem não mo neguô Antes me dixe que aVia de ir ter com o dono que lha tinha dado
[9]
o dito Bruno Mora no Beco dos Almocreves No 27
[10]
Este Homem prezo o sua Molher
[11]
Deos descobrira A Verdade Pois ela lh e sua filha
[12]
E com isto não Infado Mais A Vce
[13]
Lisboa, 18 de Nobro 1824 Bernardo De Azevedo

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation