PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1701. Carta de José de Carvalho para Pedro de Carvalho, prior.

ResumoO autor, provavelmente familiar de um comissário do Santo Ofício, denuncia Gaspar Rodrigues por ser cristão-novo e ter um "livro dos judeus".
Autor(es) José de Carvalho
Destinatário(s) Pedro de Carvalho            
De S.l.
Para S.l.
Contexto

Dentro do fundo do Tribunal do Santo Ofício existem as coleções de Cadernos do Promotor das inquisições de Lisboa, Évora e Coimbra. O seu âmbito é principalmente o da recolha de acusações de heresia. A partir de tais acusações, o promotor do Santo Ofício decidia proceder ou não a mais diligências, no sentido de mover processos a alguns dos acusados. Denúncias, confissões, cartas de comissários e familiares e instrução de processos são algumas das tipologias documentais que se podem encontrar nestes Cadernos. Quanto ao crime nefando e à solicitação, são culpas que não estão normalmente referidas nestes livros.

Suporte uma folha de papel dobrada escrita nas duas faces do primeiro fólio e no rosto do segundo.
Arquivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fundo Inquisição de Lisboa, Cadernos do Promotor
Cota arquivística Livro 267
Fólios 100r-101r
Transcrição Ana Rita Guilherme
Revisão principal Mariana Gomes
Contextualização Ana Rita Guilherme
Modernização Sandra Antunes
Anotação POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Data da transcrição2008

Texto: -

Etiquetas:


[1]
oje 3 de abil ssetessentos e hum
[2]
Cheguo Jozeph de Carvalhu d aldeia velha termo da vila do ssabugal bispado de lameguo e decalraruo que no ditu luguar morava hum Cirste novo por nome guaspar rodriguez idade de ssincoenta anos pouco mas ou menos homem casado e com sseos filhos e vive com farto de lavuoras com bois e guado e tera de sseo duzemtos mil reis pouco mais ou menos
[3]
deste cirtam novo fis esta ceixa
[4]
ha dito por ssua boca como costa de sstestemunhas que perzentes sse acharam e dis que lhe fala o diabo a horelha ters vezes no dia e ma dis que numa ocaziam que levo huma ssanta pera ssua caza e pedio o rElho da ssa na forma donde esta na na igeija e as vizinhas não lha quizeram dar
[5]
ele disse que tomarilho da ssanta e o ceimaria e mais pelo que dis a pastoral que ssemtara em doas harmas perpetoamem
[6]
e dis que tem hum livor dos judeos que por ele atormenta os cirtamos velhos em que dis que não ha de sser queimado
[7]
o tal cirstam novo tem hum filho por nome manoel mais velho e que numa ocaziam vimdo o sseu pai de camtor duma missa rezada d aldeia do bispado peleigou com sseu pai o mesmo filho e disse que indo ele a igaeija não adorava aus ssantos que hera huma qaixa de madeira e o celriguo que reperzemzemtava hum pouco de bisboria
[8]
o anto estava revistido pera dizer missa e que hera huma pouca de carne
[9]
e noutar ocaziam botou hum bosta de boi na meza de hum bamquete e deixou a meza mal tardatarda
[10]
e outors sseus filhos que guoardam as cabars andara na companha assemssado as cabars com foguo
[11]
disto testemunhas agustinho da silva e ssua molher João louremsso e fossisco lopes manoel fernades e todos os mil do povo
[12]
oje 3 de abirl sse mi dita Jozeph de Carvalho
[13]
em sserto dia percurou o dito guaspar rodirgues sse sse davam de comer na emquississam a jozeph de carvalho diante de sseo pai manoel lopes

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation