PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

[1754]. Carta de Manuel Martins para um capelão.

Autor(es)

Manuel Martins      

Destinatário(s)

Anónimo91                        

Resumo

Manuel Martins escreve ao capelão a contar o que descobriu lendo as cartas de Lourenço António e de sua mulher Brásia Maria, suspeita de pacto com o demónio.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snr Pe Capelam
[2]
o Soldado que eu dise a vm debaixo de Comficão he do regimto de Manoel de besa dantas
[3]
primeiramte que antes que o prenderão que trazia Comsigo huma Couza que o seu sargento tinha ordem pa o prender que pasava por elle que o não prendia nem ovia
[4]
em segundo lugar que hum dia que se lhe sumio aquilo do bolso que naquele mesmo dia o prenderao que fugindo elle do barco ou escondendose que andava Com as maons por sima e que não vião
[5]
e a todos dis que aqui não mas que em estando no Corsario que elle sahira pa a libardade e que Cuando elle não saia do Cursario que em elle gegando a india que logo no outro dia a de la fazer hir duas pesoas em proCura dele
[6]
que pa iso leva huma prenda que sãm humas fivelas de prata e huns Curais que lhe deu a mulher
[7]
e dis que se a mulher quizer que ningem o pode livrar Como ella
[8]
eu lhe vi escrever a mulher huma Carta
[9]
eu a li que dizia que ella Com o seu puder o pudia livrar e na Carta dizia que de ha mto emtregava a sua alma o demonio tres vezes e falava em isto na Carta huma Carta de huma folha de papel em tres laudas escritas
[10]
outra Carta lhe tinha ella mandado em que dizia que tinha pidido digo tinha ido a Caza do marques de abrantes que nunCa lhe pudera falar mas que não emportava que ella esperava do seu travalho ter fruto que se não desconsolase
[11]
isto he o que poso dizer a vm
[12]
i dizendo lhe eu huma ves por sonbaria que se elle saise que vise se me pudia levar Comsigo me respondeu que em Ca vindo sua mulher que elle veria
[13]
e dizendo eu tua mulher parese me inda ser mto rapariga pa ter pato Com o diabo dice me que não era tam rapariga que não tivese trinta e tantos anos
[14]
elle chamase Lourenso antonio ella brazia maria
[15]
nisto ditriminara vm o que quizer pois sabe o que deve ser
[16]
Ds gde a vm ms annos
[17]
De vm Criado mto obrigado Manoel Martins
[18]
a molher mora pa os anjos algures e vende pelas ruas fruta e mais queijos

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation