PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1610. Carta de António Feio de Horta, padre, para a Mesa da Inquisição de Coimbra.

Autor(es)

António Feio de Horta      

Destinatário(s)

Mesa da Inquisição de Coimbra                        

Resumo

O autor denuncia os atos de bigamia praticados pelo portador da mesma carta.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
O portador desta se chama francisco Roiz, e em castella se chamava francisco de Campos
[2]
tem officio de cardador he casado em façe da sta madre igreja ma Roiz desta Villa de mello molher mto pobre e q ganha a sua sustentacão por suas mãos
[3]
E he tão virtuosa q sendo passados mtos annos de carestia nunca della ouve senão o home q fiqua dito
[4]
e posto q no primeiro mommto estive levado pera fazer prender este seo marido pella justica secular pa q se não ausentasse te avijar a vsms comtudo o não tenho feito por favorecer esta boa molher
[5]
elle se ausentou desta Villa avera onze annos pouco mais ou menos;
[6]
e depois dahi a algũs annos (e não sei quantos) se casou em Villacastim no reino de castella q são 14 legoas d aquem de madrid, na estrada q vai pera a Corte e vive por baixo da igreja da dita Villacastim e tem huã quinta a que chama curral
[7]
mas não sei o nome da molher, e elle o dirá,
[8]
della tem fo e ja teve outro q lhe morreo
[9]
e a castelhana em janro prezomo passado estava prenhe;
[10]
e dizendolhe hum João Roiz casado nesta dita Villa q chamão o fornro que a dita sua molher maria Roiz era viva se vei elle e chegou a esta Villa de mello vespora de ramos
[11]
tratou de se confessar polla obrigacão da Coresma a proprio,
[12]
eu q ja sabia o caso e esperava a primra conjuncão pera escrever a Vsms o não quis confessar e o remeti a outros confessores que delles mo remeteo ,e elle instantia buscando pera isso duas vezes sua molher; de quẽ são amiguo por ser a q diguo, e seo cunhado
[13]
, e elle mesmo me disse q lhe relevara pois eu era pisquisidor do sancto officio, q asim se chamará em castella,
[14]
e isto tenho eu a bom sinal de em tudo não ser roim homẽ, mas enganado como ignorante
[15]
declareilhe tudo e q não o avia de confessar e o q deuz a de fazer e elle vai de boa vontade confessar em mesa sua culpa e en a a confessarei não tendo outra cousa em contrario de VSMS a quẽ peço por servico de nosso sor pois elle o quer fazer que quanto for possivel com justica, o favorecão
[16]
[17]
Vl de mello 2a outava da pascoa de 610 Antonio feo d orta

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation