PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

[1592]. Carta de Diogo Nunes para o seu irmão, João Nunes, mercador.

Autor(es)

Diogo Nunes      

Destinatário(s)

João Nunes                        

Resumo

O autor corta relações com o irmão, acusando-o de mover intrigas contra ele. Ordena-lhe que tome as diligências necessárias para que entre os dois se encerrem as contas pendentes.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Senhor
[2]
por alguas vezes tenho pedido he Rogado muito a vm me deixe
[3]
veio vm porsegir sua teima afromtando me desomRandome aquanhandome fazẽdo a cada quanto audiensias de asi palavras como cartas a quẽ quer
[4]
lembrolhe como amigo que homẽ que ãda os demonios he apartado de deos he as esperansas perdidas de tam sedo tornar para hele
[5]
não lhe fasa ho demonio fazer cousas que ho diabo ande vm he hele he tudo,
[6]
não tem nesesidade de se doer de nẽ a prima que nẽ eu quero Remedio se da sua mão me a de vir
[7]
ho que so quero he que vm muita deligensia fasa suas cõtas he mas mãde terladadas de tudo he que deve em portugal he eu devo no brazil - he do que lhe entregei he do que me deixou
[8]
he feito isto se se achar que a dinheiro para eu pagar ho que devo no brazil me de divedas para as eu cobrar he helas pagar o que devo-
[9]
não quero de vm outra cousa nũqua a pertendi
[10]
pezame fazer vm a tantos verdadeiros asi em portugal como no brazil mas como sempre me defendi todos dizer que não lhe queria nada nẽ me pertendia me satisfaso
[11]
isto fasa vm muita brevidade porque não avendo que eu posa pagar o que devo saberei ho que ei de fazer

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation