PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1542. Carta de Fabião Rodrigues, mercador, para Bastião Fernandes.

Autor(es)

Fabião Rodrigues      

Destinatário(s)

Bastião Fernandes                        

Resumo

O autor congratula-se com o restabelecimento de saúde do destinatário e com a disponibilidade na resolução de uma dívida entre familiares. Respondendo ao pedido do destinatário, envia-lhe informações sobre as características comerciais da Flandres, que considera favoráveis.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
In enves a xiiii de majo 1542
[2]
señor
[3]
a sua 30 de março recebi a qual mto por ser sua porq me avia escrito Luis mendez q e doente e por iso me não respondia
[4]
agora vejo vm ja de saude a ds lha cõserve p mtos
[5]
tocante a divida q seu cunhado devia a meu irmão ja he paga a bem
[6]
e lhe tenho em merçe a diligencia q niso queria fazer mas como digo não he necesaria pois elle a pagou a meu irmão en ancona.
[7]
quanto aos agradecimentos q me daa por lhe aver mãdado a carta do S seu irmão são maiores do q a obra requere todas as vezes
[8]
isto e cousa de mto maior substancia ho farey por elle como por irmão meu e nisto não avera duvida.
[9]
a carta sua pa ancona mãdei a muy bom recado
[10]
çedo averei repta q farei por lhe mãdar per posta:
[11]
esta sera hũa do dito lugar a qual avera 12 dias q ha tenho aqui e por não aver posta não ha mãdei ate agora q por mar he hũa prolixidade
[12]
faça repta logo e visitelẽ p cartas entretanto q esta ali porq me tendo sedenta não avera tão facilmte carta sua pella distantia grande do caminho.
[13]
ao q sõr dizeis q vos escreva do estado desta terra digo sõr q esta pa as mercadorias gerais mto boa e mais segura do q nũqua esteve louvado seja noso sõr
[14]
portãto quẽ quiser negociar pode fazelo
[15]
francamte se demãda da pa particulares negocios não hay outra no mũdo
[16]
e creame q quẽm não trata nesta terra sendo mercador q não se deve de ter por homẽ porq ho negocio desta terra he mto util pa quẽ se aplica a elle e não quer viver de gentil homẽ e se regẽ por saber e não por vaidades como algũns dos nosos fizerão q vuverão asim
[17]
conto la ounereis
[18]
esta terra não consinte cousa extraordinaria porq logo a lança de si mto longe grande vituperio pellas pois me peza mais q por elles cuidão aproveitarlos e nos mãdar qua moços
[19]
e nisto hos darão porq a soltara delles e da terra
[20]
da a cauza a fazerẽ desmãchos
[21]
iso sõr vos escrevo por q saibais a qualidade desta terra pois mo demãda na sua.
[22]
e não avemdo outro de novo lhe beijo as mãos rogando a noso sõr vos tenha en sua guarda.
[23]
a Voso serviço Fabiam roiz

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation