PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1522. Carta de Adriano de Borgue, [mercador], para o seu irmão Filipe de Borgue, [mercador].

ResumoO autor mostra satisfação pelo sucesso que um sobrinho parece ter nos negócios. Refere ainda alguns incidentes relacionados com transporte de mercadorias: assaltos e arrestos.
Autor(es) Adriano de Borgue
Destinatário(s) Filipe de Borgue            
De Portugal, Lisboa
Para S.l.
Contexto

Esta carta integra a coleção Corpo Cronológico, fundo documental à guarda do Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Trata-se de uma coleção principalmente composta por documentação de cariz judicial e administrativo, que abarca o período entre 1161 e 1696, à qual foi acrescentado um vasto conjunto de material disperso na sequência do terramoto de 1755. A datação dos documentos é critério principal de organização do corpo Cronológico, assim chamado pela mesma razão.

Suporte uma folha de papel escrita em ambas as faces.
Arquivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Corpo Cronológico
Fundo Parte I
Cota arquivística Maço 28, Documento 73
Fólios [1] r-v
Socio-Historical Keywords Tiago Machado de Castro
Transcrição Tiago Machado de Castro
Revisão principal Rita Marquilhas
Modernização Sandra Antunes
Anotação POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Data da transcrição2013

Texto: -

Etiquetas:


[1]
De lixboa a viii dias de setẽbro de 1522
[2]
Meu Irmãao Filipe
[3]
eu me Recomendo a vos e a minha gente vosa molher e a todos nosos amigos dela
[4]
a pnte sera pa vos avisar como eu fuy aRastado qua por as tomadas q os frãçeses fazem la no q Reçeby grande estrouvo
[5]
mas gças a noso sor eu vym eu vfym a minha võtade e serey breve la na tera prazemdo a noso sor
[6]
Meu Irmão eu son muito alegre de meu sobrinho arnaulte q fez muito bem seus negocios nesta tera porq me foy dito por charles corea q gaynhou em sua viagẽ de sardinha amays de bic ducados porq he grãde prazer quãdo pesoas de bem ganhõo
[7]
eu sou e estou mto anoyado do q tambem me dise q nesta viagẽ deradeyra ous bretões lhe tomarõ tudo três ballas de pimẽta as quaes elle foy aRecadar
[8]
e tẽ aqui novas q o seu navio esta esperãdo por elle em bayona e q pode av a caregaa de algũas mercadarias de q meu sobrinho tem a liçença e o meo pa as caregar por q estam qua bem tristes.
[9]
meu Irmão eu vos emcomẽdo minha yrmãa e todos meos negoçios e vos Rogo q em tudo a queiraes ayudar e acõselhar e asy a richar ocarom
[10]
e q lhe Rogo q aya hũa pouca de paçiençia de mỹ ate q seya tornado e se quiser q lhe façõo o milhor q poderem Item asy
[11]
meu Irmãao eu avia ante praso de Retare os xii navios de trigo q mestre yoane lamy tomou sobre avizo nelle por meo do sor da ymagem de nosa sora
[12]
eu vos Rogo que vos emtemdaes nyso e me fazr este prazer e eu volo Reconhecerey
[13]
e vos Rogo outra vez q vos apraza de terdes carego em todos meus negoçios
[14]
e asy sey outra cousa q vos escrever senõ q Rogo a nosso sor q vos dee aquylo q voso nobri coracõ deseya
[15]
o todo voso yrmão e amygo adriam de borgue

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation