PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1568. Carta de Gonçalo Nunes para Fernão Martins.

Autor(es)

Gonçalo Nunes      

Destinatário(s)

Fernão Martins                        

Resumo

O autor dá recomendações ao amigo sobre o sigilo que tem de manter.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Snr
[2]
fernõ miz a mỹ me deseram que ereis vỹdo desa tera e que trouxereis esa molher o quall muyto folguo porque ate aguora esperey por sultura senã aguora
[3]
bem sey nesa parte quãto lhe devo
[4]
pa que me daquy me veja fora de tamanhos trabalhos aveis de tomar isto a carguo que dygaes a esa molher que lhe allenbre que sempre dise que querya nada de mỹ e que se fose nesesaryo vẽder o mãto e a saya por me tyrar da cadea que ella o farya
[5]
aguora estou em tempo pa diser tudo iso dyante da justica nesta tera
[6]
e eu esa cõfiansa tenho porque eu fora da cadea farey tudo aquillo que em mỹ fo faser e nũqua spa iso
[7]
me achara descallso ho meu feyto
[8]
esto em termo de esperar senã por esta diligencia
[9]
e ella feyta farey cõta que estou solto
[10]
o vigayro tem detremynado ha mãdar camyneyro faser a tera ha mesma deligẽcia sobre ho caso
[11]
pois noso snor vos trouxe a tera essa molher escusaram de hyr lla
[12]
folgarey de saber della se a sua tẽsam he o que tem dyto ho mais prestes que puder ser tanto que esta vyrdes porque dyrey o vygayro que aquy se pode faser a diligentia todo sem hyr a tera
[13]
o que vos encomẽdo que digães ha esa molher que se ponha diser pallavras hũa nẽ ha outra porque bẽ sabe que esta tera he como ha sua
[14]
por aguora dygua mais senã que noso snor vos traga na su guarda
[15]
feyta aos 11 dyas do mes de julho de 1568 anos

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow view