PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

1663. Carta de Jacob José Henriques para Simão Mendes de Almeida, mercador.

Autor(es)

Jacob José Henriques      

Destinatário(s)

Simão Gomes de Almeida                        

Resumo

O autor dá conta ao destinatário da existência de boatos a seu respeito, boatos esses que permitem desconfiar da sua lealdade para com o povo judeu. Dá-lhe a oportunidade de os desmentir.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Simam Gomes d almda
[2]
amsterdam 10 de agosto 663 @
[3]
ha mtos dias que dezejo de escrever a vm sobre o que nesta digo por me pareser conhesendo sua creasam numqua, em vm poderia caber a minima coiza das mutas que todos os que desa vem dizem
[4]
E tinha pa commigo vm se inzentava de declarar por algus respeitos que por agora o que tanto em seo corasam era bem estivese estampado E seos pais E avos senpre obraram mas passa a couza em tanto escandallo que porcuram apartallo da comonicasam do gremosa de que deus livre a todo israel couza que soo se uza com algũ depravado blasfemoso que repuna a lei mental E dispusisam de nosos sabios.
[5]
E isto a deus grasas mais raramte acontese, mas o que cair en tal disventura o nam podera remediar sem grande mostra de arrependimto E aseitando a penitensia que se lhe der,
[6]
E suposto que conheso a vm de criasam E seu bom prosedimto, ao que vejo falar me da motivo que como nosso, o podia pervalicar algũ maldito carraim couza tamto contra deos E escandallo de seu povo,
[7]
a resam que ha de proneio E amistade con que sempre nos tratamos me da confiansa a falar con Esta clareza porque me emvergonho do que ciso,
[8]
E assi convem que desde logo sem se lhe por nenhũ respeito que pertenda por diante mostre vm nam he o que se dis E que nam desgenera de qem prosede, para que todos fiquem desenganados que por imaginasam lhe não podia pasar tam maldoso intento,
[9]
E querendo eu em alguã ocaziam disculpar a vm me responderam que mutas pesoas que vivem por estas ptes por alguãs pertensois que tem em portugal E castella se nam declaram do que o servam, mas que nam dam escandallo nem falam o que nam he mas antes con os nosos se desclupam E vm que o fas ao contrario galanteando, disso couza que nem os que sam de deferente religions fazem
[10]
para qen ten Juuzo basta o que nesta digo
[11]
E assi me nam alargo a maes
[12]
gde ds a vm e dee o que lhe dezejo
[13]
Jaco E Juzep Enriques

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow view