PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Visualização das frases

[1770-1772]. Carta de Madalena Tomásia de Jesus, mulher de desembargador, para Bernardo da Silva do Amaral, padre.

Autor(es)

Madalena Tomásia de Jesus      

Destinatário(s)

Bernardo da Silva do Amaral                        

Resumo

A autora conta ao destinatário todos os problemas de saúde que têm atingido as pessoas de sua casa e a maneira como ela, heroicamente, tem lidado com tudo.

Texto: -

Etiquetas:


[1]
Envio este a V R pa lhe manifestar o estado em q tem estado, ma May e inda está, e suponho estará enqto Ds for servido, porq como lhe falta qm abaixo deste sr, o seo alivio ha de custar mto tello de todo.
[2]
Dias q anda com ameasos da sua molestia; porem sempre divertindo-a;
[3]
e de segunda fra pa a tem apertado de sorte, q dando lhe hontem a noite, pellas sete oras, ficou como morta,
[4]
e eu como tal o cuidará, se mais tpo estivese asim, qdo com tão pouco não deichei de ter mo sustozinho;
[5]
porem como N Sr nos mais grdes apertos, sempre acode, premitio q despois de eu labutar com ella, alguma meya hora, se não foi mais, a força de preceitos, e outras diligcas, tornase a si aliviada, pouco e se alivantasse a divertir,
[6]
asim pasou a noite, e hoje thé o prezte taobem, hora mais aper-tada, hora menos,
[7]
e desta forma hira hindo, enthé Ds querer aliviar lhe de todo.
[8]
pedi-lhe mto q escrevesse a V R, lhe diceçe a molestia q sintia
[9]
dise-me, q a deichaçe; pois ella de si não sabia.
[10]
V R ponha-lhe preceito pa ver se com elle, tem mais bocadinho de socego.
[11]
Anda mo Pe o demonio he atrivido, q lhe não sei dizer
[12]
olho pa huma pte acho a ma may, q o q entre todos mais padeço,
[13]
olho pa outra vejo a velha dos infeites, q tãobem tem andado com sua molestia;
[14]
chego-me a huma pte vejo a huma preta ignacia, q tãobem tem, ou couza q lhe fizerão, ou couza asim semelhâte,
[15]
e finalmte a sra D Jozefa, q segunda fra ficou morta, sem sentidos, sem falla,
[16]
e com eu lhe rezar o Poder de Ds Pe, e tar-lhe aseite bento, ficou sam, sam, como se não tivese molestia q a huns fis chorar; e a outros, desconfiarem da sua vida
[17]
despois diso q não anda boa, com grde fastio, mais vai pasando sempre alegre
[18]
com q mo Pe todos sentem suas molestias, e nimguem qr dizer-lhas a V R
[19]
não se esqueça de por preceito no Demonio, pois ma Maiza não não está nada boa.
[20]
E no enqto aDs aDs
[21]
ma Mai manda a V R suas lcas e lhe manda dizer q lhe não escreve porq sabe N Sr como ela anda q en podendo lhe ha de escrever
[22]
aseite lcas de todos
[23]
mas sem conto.

Representação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow view