PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR0028

1568. Carta de Gonçalo Nunes para Fernão Martins.

Autor(es) Gonçalo Nunes      
Destinatário(s) Fernão Martins      
In English

Private letter from Gonçalo Nunes to Fernão Martins.

The author gives his friend recommendations about the secrecy that he has to maintain.

This case concerns Diogo Nunes, a false identity that Gonçalo Nunes engineered in order to marry for a second time, in Elvas. Faced with this suspicion, the vicar of Elvas, António Pereira, together with the city's bailiffs, investigated him and sent a letter to the ecclesiastical authorities of Évora telling the aforementioned facts (PSCR0027). Along with this communication, he also sent two letters written by the defendant: one (PSCR0028) as evidence of his crime, and the other one to his first wife (PSCR0029).

If there is no translation for the letter itself, you may copy the text (while using the view 'Standardization') and paste it to an automatic translator of your choice.

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Snr

fernõ miz a mỹ me deseram que ereis vỹdo desa tera e que trouxereis esa molher o quall muyto folguo porque ate aguora esperey por sultura senã aguora bem sey nesa parte quãto lhe devo pa que me daquy me veja fora de tamanhos trabalhos aveis de tomar isto a carguo que dygaes a esa molher que lhe allenbre que sempre dise que querya nada de mỹ e que se fose nesesaryo vẽder o mãto e a saya por me tyrar da cadea que ella o farya aguora estou em tempo pa diser tudo iso dyante da justica nesta tera e eu esa cõfiansa tenho porque eu fora da cadea farey tudo aquillo que em mỹ fo faser e nũqua spa iso me achara descallso ho meu feyto esto em termo de esperar senã por esta diligencia e ella feyta farey cõta que estou solto o vigayro tem detremynado ha mãdar camyneyro faser a tera ha mesma deligẽcia sobre ho caso pois noso snor vos trouxe a tera essa molher escusaram de hyr lla folgarey de saber della se a sua tẽsam he o que tem dyto ho mais prestes que puder ser tanto que esta vyrdes porque dyrey o vygayro que aquy se pode faser a diligentia todo sem hyr a tera o que vos encomẽdo que digães ha esa molher que se ponha diser pallavras hũa nẽ ha outra porque bẽ sabe que esta tera he como ha sua por aguora dygua mais senã que noso snor vos traga na su guarda feyta aos 11 dyas do mes de julho de 1568 anos


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textRepresentação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frases