PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR0095

1542. Carta de António Fernandes, mercador, para Tomé Serrão, mercador.

Autor(es) António Fernandes      
Destinatário(s) Tomé Serrão      
In English

Private letter from António Fernandes, merchant, to Tomé Serrão, merchant.

The author complains himself to the addressee about his financial difficulties; he blames the latter's son.

The same pack includes other letters that came from Flandres at the same time, where various aspects about the local trade are discussed. Among the goods that were traded at the time, we have: olive oil, wool, wheat and swords. Some foreign exchange issues, commercial debt, the impact of scarcity or abundance of certain goods, besides other general matters, are also discussed in these documents.

This is one of the letters in the collection "Corpo Cronológico", a documental fund under the custody of the National Archive of Torre do Tombo. It is a collection composed mostly by documentation of judicial and administrative nature, from 1161 to 1696. After the earthquake of 1755 many scattered documents were incorporated in this fund. Just like the name suggests, the main criterion of organization within the Corpo Cronológico is the documents' date.

If there is no translation for the letter itself, you may copy the text (while using the view 'Standardization') and paste it to an automatic translator of your choice.

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

1542 em ẽves a 4 de junho sor

Em 20 de maio stpvy a vm e lhe dise como esta fra me vy mto trabalho por guardar sua homra e foy de tall sorte q ẽpenhei toda minha fzda e asy obra de 1200 lhx de letras q tinha de modo q avera mester q vm todo modo poveja pa esta de junho porq povemdo eu vejo nhũ remedio pa q mel serã page e sera forcado q se pca sua homra e a minha polo querer soster do qll eu me dou por mto culpado me meter por tamta soma porque lhe faço sabr q nũca homẽ fez por outo ho q eu tenho feyto por mel serã e pois e pois as stpturas diso la por honde vm vera a Vdade nesta me quero alargar somte lhe trazer a memorya ho q fiz por gardar sua homra e como fim de julho os pagos homde estou obrigado por mel serã polo seguimte dala por 666 lhx a mel bernaldes caxro do feitor por 211 lhx a alemã por 418 lhx a frco de baros por 620 lhx faz todo 1915 lhx e mais q tenho dado letras minhas q mõtã 700 lhx estas se pagarã esta pasqoa e a de junho q vẽ q sera segũdo vejo forçado q eu haja tãbẽ ho meu porq estas letras de Mcadsa e seu filho deve de dinhro tomados a ẽtereses q valuados e poq se Pdia mto de todas moedas ao valuado dey estas minhas letras penhor e asy mta prata e Mcadsa pa lhe aV dinho valuado ate fra de seto ora eu ey tãbẽ mester ho meu polo qll ha mester q vm proveja pa todo dinho ou credito e ho fazendo eu vejo mão caminho pa se pagar ho que se deve e como acima digo todos pdremos nossas homras e isto me guanharey por fazer bẽ ho qll lhe digo q nũca seu filho fez por mỹ tpo de minhas nesesydades e cõtodo eu me dou por ditoso de q fiz cõtãto que saya minha homra porq sendo ho cõtrairo serya cousa forte e porq pa vm o dito basta creo rogamdo a noso snr sua nobre pesoa prospere vida e descamso como deseja, a sora beyjo mil vezes as mãos

a so de vm ãto frz

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textRepresentação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frases