PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR1484

1672. Carta de Bento da Costa, dono de engenho, para Agostinho Coronel Chacon.

ResumoO autor transmite diversas informações sobre familiares e sobre o estado da colónia.
Autor(es) Bento da Costa
Destinatário(s) Agostinho Coronel Chacon            
De América, Suriname
Para Holanda, Amesterdão
Contexto

Perante a suspeita de as comunidades sefarditas traficarem mercadorias e informações em prejuízo da Coroa inglesa, várias embarcações procedentes ou destinadas à Holanda por sua conta foram intercetadas. Efetivamente, as disposições constantes nos Atos de Navegação de Cromwell proibiam o trato comercial das colónias inglesas com a Holanda, a Espanha, a França e respetivas possessões ultramarinas. Os processos instaurados, à guarda no Supremo Tribunal do Almirantado, surgem no contexto de quatro momentos de grande crispação entre aquelas duas potências: a 2ª Guerra Marítima Anglo-Holandesa (1665-1667); a 3ª Guerra Marítima Anglo-Holandesa (1672-1674); a Guerra dos Sete Anos (1756-1763); e, por fim, a 4ª Guerra Marítima Anglo-Holandesa (1781-1784). A documentação encontrada a bordo e preservada em arquivo - correspondência particular e registos de carga - constituiu testemunho documental da prática dos crimes de contrabando de mercadorias em alto mar. As cartas aqui descritas são ainda demonstrativas da qualidade das relações mantidas no seio de famílias sefarditas (judeus e conversos), com existência de redes estrategicamente distribuídas: de um lado, os colonos posicionados abaixo da linha do equador, mais precisamente numa área das Sete Províncias das Índias Ocidentais (o Caribe), no âmbito das possessões ultramarinas holandesas; do outro, familiares e parceiros de negócio, situados nos principais portos no Atlântico Norte, importantes centros de atividade financeira e mercantil. Há inclusivamente em algumas destas cartas vestígios de empréstimos lexicais feitos ao inglês e ao neerlandês. São disso exemplo algumas palavras do campo léxico-semântico do comércio, como as ocorrências “ousove” e “azoes”, que remetem para o inglês “hoshead” ou o neerlandês “okshoofd”, uma medida antiga de volume. No presente caso, estamos perante um conjunto de cartas que viajava a bordo das embarcações holandesas Het witte Zeepaard, Bijenkorf, Fort Zeeland e Gekroonde Prins. Provinham do porto de Paramaribo, com destino a um importante porto estratégico da Companhia das Índias Ocidentais - Flushing, na América do Norte -, através das Caraíbas.

Suporte folha escrita em ambas as faces.
Arquivo The National Archives
Repository Records of the High Court of Admiralty
Fundo 30/223
Cota arquivística part 7 of 13, section 1 of 2
Fólios [1]r-v
Transcrição Ana Leitão
Modernização Raïssa Gillier
Data da transcrição2016

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Sor Agostinho Coronel chacon Serinão 20 de Agosto 1672 a

A de sima copia da q escrevi a VM o dia q Parese, depois disso não hei tido mais carta de VM. estimarei coando Reseba Está gose boã saude E toda a obrigação o mais q deza E nos continue El Dio a q temos Para melhor o servir como devemos, Livrandonos do Cuidado que estamos de se aver Prinçipiado a guerra, dandonos a paz E quietasão q avemos mister

a sra nosa cunhada Rachel salom fica cazada moço Raphael Aboab q dahi veo em ma Conpa Para barbadas q esteve em ma Caza alguns aos la E ca, o Coal depois da vinda dos framengos se deu tão Boã mão Elles q tem hoje mui cabedal, e está sor de engo q conprou p 150 mil livras de asuqre em conpa de Ingrez, estão mui contentes, E a sra mto mais de se ver em sua Caza E milhor do q ninguẽ dos q aqui estão, no q eu fiz mto p q tivese Efeito pq não deixava de ter alguns desgostos os seus; Alo da ffonseca tido mtas Pendensias sua mai E iros Respto do Cazamto q fez e continuão cada vez mais athe lhe averẽ Posto bẽ as mãos, e sahido bem escalavrado delles, Reseosos de q tome a outra ira da mulher, o q Elle mto dezea mas duvido tenha Efeito p não estar mto Pa cobisar p a mta carga de debitos q tẽ às costas E não ter Credito Pa huã placa, o q o pasa o pobre Cavaleiro mal p todas as vias, todos lhe sentimos seus trabalhos, p seo proseder e termos, defrente de todos os seus, mas so Ds lhe Pode ser , o engo q vendeo ser p tão alto Preço não o avansou nada, e outra plantajẽ q tinha vendido pla não lha aseitarão q a tornou a tomar, mtos debitos q nella tinhão feito q não val mto o q lhe Custa, esta informasão dou a VM p ma pedir q não custumo meter me em vidas alheias, estimarei a não de VM a ninguẽ de meo nome

não continuo a ma obra do engo athe ver como as couzas se poem, E os cobres Baixẽ do grande Preço q tomarão; fica na costa huã fragata q veo de barbadas e mais Ilhas Pieter De Raedt p Cabesa, o Coal grande indio E se Resea os amotine Contra nos, esta se aprestando navio Pa lhe sahir ao encontro, do q suseder avizarei avendo lugar, E o q Pode nos Livre deste e outros encontros que Reseamos, E nos mande de Breve novas de pazes, q do contrario estamos jugados aos dados, Inda q o forte está Bẽ prevenido de gente E mais nesesario, em todos VMs nos Recomendamos o amor q devemos, El Dios seja todos La E qua E as

Bentto Da Costa

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textRepresentação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frases