PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR1140

1592. Carta de Cristóvão Gomes de Vasconcelos para o seu filho, António do Vale de Vasconcelos.

Autor(es) Cristóvão Gomes de Vasconcelos      
Destinatário(s) António do Vale de Vaconcelos      
In English

Family letter from Cristóvão Gomes de Vasconcelos to his son, António do Vale de Vasconcelos.

The author gives the recipient some news about the judicial procedures that were going on against him, in Arraiolos.

The defendant in this process is António do Vale de Vasconcelos (also known as "Lebracho"), accused of bigamy. He was married in Alentejo, Portugal, to Catarina Garcia de Cabreira, but then went to Brazil, in 1591, and there he got married with Helena Leitoa, while his first wife was still alive. To do this without getting into trouble, he first alleged that he was single, then he said he was a widower and, finally, that his first wife was very sick, which had made him presume that she would die really soon. The file includes eight letters, most of them from family members, which might help capture the true facts of his stituation.

If there is no translation for the letter itself, you may copy the text (while using the view 'Standardization') and paste it to an automatic translator of your choice.

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

fylho

Esta não he pa mais q pa te dar cõta do q se qua pasa aserqua dos teus negosios e de nosa sahude fylho saberas q jam lleitão veyo a esta tera com allsada com toga e cuchilho e tirou quynhemtas tas e esteve dous mezes meyrinho e escryvão ho quall foy paullo d allmada que foy m de deus mui grande pa nos pq se não fora tambem tua may houvera de ser cullpada mas deus he bom acodenos m q he depois de tirada a devasa forão tos ho coregedor d evora e ho juis dos horfos cõtrayro de teu sogro e ho houvydor d avis e ho juis d estremos e ho houvidor do duque e semtensearão hos cullpados q foi ho lladrão do Valleiro que ho matou ho quall sentensearão a forqa e ha mão corta no pellourynho e llogo lhe fizerão isto em palha e ho emforquarão na prasa e a ti espos elle em estatua Rotollo e com pergam pera galles pa sempre e a symão moreno polla mesma maneyra pergam des anos de galles e a martynho e fellype e po Vas dous anos pa afrequa e a ines d abreo tres anos pa castRo marỹ e sobretudo llevou sem mill rs pa hos quais se vendeu ho basello e ho demais pagey em dinheiro de contado e des myll rs da Renda da vynha em que me llogo cõdenou de maneyra q tudo isto fez e esta feyto como dygo agora q te quero dyzer ho que Resta Isto ten Recuso trazendote nosso sor e querendo vir pa quebrar hos holhos a quẽ te lla deytou e jurou fallso comtra ti he fasas muyto p valleres e averes papeis pa ho Rey pera te darem provizão pera vires e trazeres muyto dinheiro pq sem elle não se pode bollyr nẽ llyvrar p ser ho caso muyto agro e fortes Reigos pertamto te peso q tu tenhas llembransa de tudo Isto e te dygo pq trazemdo Isto comfyo na m||merce de deus q ho llyvramto que ho tes bem mas como dygo a myster dynheiro e se puderes mandar me hua procurasaom pa querellar em jurado e d allgus que jurarão comtra ty dar p esta jornada e llembro te q nos tens posto em mta cöfuzão não escreveres e se mãosebo d evora não disera q te vira e hua carta q mãodou d estremos que sempre nos pareseu que eras morto pertamto não deyxes de escrever todas as vezes e mto llargo de tua vida e sosego pq bem sabes q esa he o noso comsollo ter novas de todos hos teus eles te escrevẽ ptamto te não dygo mais senão q todos estão bem e todos emcomẽdão suas horasoes q todos não fazem outra couza aviza me de tudo e llembrate dos q te fyzerão bem nesta jornada e não sejas emgreto dos q te fyzerão bem trabalha p valleres como homẽ homRado q te sertefyquo q não sei quamto te ei de durar pq me vay mto mall e não llevo vida pa eu viver mto e se eu morer digote q não te a de valler senão ho que trouseres quãoto a quateryna garsia esta mto boa ella fyqua agora aquy e seu pay huza ella como sua fa tamto pode ho cuydado della fylho llembro q te aquatelles q podem estes teus henemygos poremte lla has cullpas negosease de maneyra q te ponhão ho pe diamte a bemsão de deus e mynha e tua may te abamsa e te llembre ho que te tenho dyto nesta não dygo mais senão q fyquamos todos auvorasados p a novas tuas boas pq nos dyserão ho capitão q te fyzera allferes e se asỹ he dete a gente bem como homem honRado ho quall cudado he escuzado llembrar to isto seja contigo ds em aRaiollos aos de marco de 92 anos

de teu pay xpo Gomez

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textRepresentação em textoWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frases