PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS0026

[1823]. Carta assinada sob o pseudónimo de José Maria Monteiro de Serpa e enviada a José Maria de Góis.

ResumoO autor ameaça de morte o destinatário, caso este não entregue 6 moedas para livrar um preso da Cadeia do Limoeiro.
Autor(es) Anónimo16
Destinatário(s) José Maria de Góis            
De Portugal, Lisboa
Para S.l.
Contexto

A forma de extorsão que esta carta documenta (e outras mais de igual teor) representa uma prática que se tornou característica da cadeia do Limoeiro no primeiro quartel de Oitocentos e cuja amplitude em muito beneficiou da instabilidade política e social associada aos primeiros anos do Liberalismo e da ambiência generalizada de vulnerabilidade e suspeição.

Suporte meia folha de papel dobrada escrita nas duas primeiras faces e com sobrescrito na última.
Arquivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Fundo Feitos Findos, Processos-Crime
Cota arquivística Letra M, Maço 1, Número 6, Caixa 2, Caderno [2]
Fólios [22]r-[23]v
Transcrição Cristina Albino
Revisão principal Cristina Albino
Contextualização Miguel Cruz
Modernização Clara Pinto
Anotação POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Data da transcrição2007

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Illmo Sr Joze Maria de Gois

Munto Estimarei mto q VSa tenha bonna saude Em Compa da sra Dona Mariana q eu tamemi me ofreco pa o q lhe for pristavel Illmo Senhor quem Escreve Esta a VSa he hum seu amigo Lial Joze Maria Monteiro de Serpa Cappam de huma Coadrilha de Ladrois q trago Em meu poder 25 homis somtes pa matar i Roubar ĩ pelas Estradas i na oCazião prezente achome nesta Cidade de Lisboa adonde me são preÇizas 6 moedas i pertendo de VSa que se sirva de mas Emprestar i as mandara por hum dos seus Creados ao Limoeiro, a Emxobia da Çidade i as Emtregara A hum meu Camarada que La se acha prezo, se chama por nome Antonio Manoel Serano. Logo que chegue o prezo falara Com ele Em segredo i Logo que lhe diga o meu nome i Este Santo q he são Roque lhe Emtregara i lhe pasara hum ReÇibo q Este dinheiro ha de ser pago a VSa no fim deste mes i VSa mandara Este dinro o dito prezo Em papel i daqui Emte dia 14 do corente mês de Janro i Coando VSa Falte a isto q lhe mando dizer dispois não se queixe do q lhe aConteCer que o meu nome he bemi nomeado i eu Ja EsCrevi a VSa pa a sua Caza a lapa i não Foi a dita Carta porq tibe por notiCa q VSa se tinha mudado pa o Cas de Codre agora se VSa não mandar Reposta o dito Prezo eu Gurolhe por Coanto he sagrado i por esta que aqui faco que se pode comfesar q eu sigo todos os seus pasos de dia i de noite

sou de VSa Amo Joze Maria Monteiro de Serpa Capam de huma Coadrilha de ladrois

Atesto Com as minhas armas


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frasesSyntactic annotation