PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS1094

1708. Carta não autógrafa de Ana Pires para o marido, João Rodrigues Gavilão, curtidor.

ResumoA autora mostra-se desmoralizada com a demora na libertação do marido e procura animá-lo com novidades da gente de sua casa.
Autor(es) Ana Pires
Destinatário(s) João Rodrigues Gavilão            
De Portugal, Bragança, Argozelo
Para S.l.
Contexto

Processo relativo a João Rodrigues Gavilão, curtidor. Era natural de Argozelo e aí morador, casado com Ana Pires, sua parente. O réu foi acusado de dois crimes, o primeiro de judaísmo e o segundo de ter mentido num interrogatório de Pedro Vaz, seu amigo e igualmente réu num processo de judaísmo.

Suporte meia folha de papel dobrada, escrita na primeira e na última face
Arquivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fundo Inquisição de Coimbra
Cota arquivística Processo 1467B
Fólios 103r
Transcrição Ana Guilherme
Modernização Catarina Carvalheiro
Anotação POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Data da transcrição2009

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Meu marido e Senhor

Parece q a noticia que tive de sua saida q seja pa servir a Ds foram arogativas e ptiçoins de quem tamto o dezeja ver. e asim estimaremos todos todos esta o- açhe com aquella felis saude e acompanhada do bom suçeso que todos lhe dizejamos todos os de caza he obrigaçoins estamos! por ora de saude que Deos noso sr a todos nolla aumte pa lhe fazer gdes serviços tocante a seus gastos e desempenhos como Vm tenha saude e o labor que dezejamos tu-do o mais Ds noso sr o a de Remedear porque o que se nos devia em Va Real inda está em ser pa o que se lhe ofrecer q allias com seu avizo plo coal espero he coanto antes pa eu dispor o que se me ordenar por vozamce a que allias não faltaremos e tenha Vm entemdido q como o tpo tem sido tan dillato nos tem cauzado mtas comsederaçoins mas como Deos seja da nosa pte tudo elle a de Re medear inthe o prezte Ds louvado me não tem avexado em couza alguma pa o tribunal dessa çide suposto que por otras vias me não ão falto imfados bastantes mas não plo Sr mel deas de Souza que coanto a elle lhe devemos alem do seu dro mto gde e boa obra cheguenos Ds a que tudo lhe satisfaCamos e coanto ao gago ja tem 100 mil rs inda que com baste imfado todos os rapazes e raparigas se lhe recomendão com mtas mtas saudades e particullarmte o seu Joaquim e Anna Ma q são os seus ou erão os seus maiores amtes mas estão pa ver Deos louvado e não menos paulla e Ma e Dos que he o Leme da caza de q Vm partiu desta terra- o seu Mel esta estute de negocio que le letra que Rdos pes do noso povo lhe não dão dentada alguns por não dizer todos queremos começe de escrever suposto a culpa de o não aver comseguido não do vezinho miguel luis q he o que o ensina mas huns sentidos tirão outros que me te-nho visto bem atrellada aqui nesta sua caza pouzarão dous menseonários do collegio de Bragca e lhe pedi e Rogei me fezesem caride pedir no fim de 2 sermoins me pedesem huas ave Maria por hua gde necesede que hera ter meu marido em prizoins avia 27 mezes e elles com gde vomtade se me ofreçerão e pedirão no pulpito que creio serião estas ave marias ouvidas do ispirito sto elle permita darlhe a Vm a liberdade que heu e fos estamos sempre pedindo a Deos no Sr que não sabemos a ora que avemos de v este tam bom dia em o ver em esta sua caza e asim toda vezinhãoça o espera Deos sendo coan tes e aDs noso Sr que o gde e tragua em bre diante de nosos olhos pa aplacar as continuadas ansias tam repetidas d Vm Amo do coração

Argo he juinio 23 de 1708 de sua tam amte sobrinha Anna Pires

o Secretario desta Miguel Luis e toda a sua gente se lhe recomenda mto mto e inda mto q o quizerão ver com mto boa fellecidade AMiguo vezinho Miguel Luis


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frasesSyntactic annotation