PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR1502

1773. Carta de Manuel Tavares da Silva, coronel, para José de Évora Macedo, capitão-mor.

ResumoO autor pede ao seu destinatário que aguarde a chegada de um conhecido para resolver uma dívida.
Autor(es) Manuel Tavares da Silva
Destinatário(s) José de Évora Macedo            
De África, Cabo Verde, Praia
Para S.l.
Contexto

Documento apenso ao processo "Autos de inventário dos bens que ficaram por falecimento do coronel Manuel Tavares da Silva é inventariante o tutor dos seus filhos Francisco Tavares da Silva", que decorreu entre 22 de fevereiro e 8 de março de 1790. Este tipo de processo constitui-se geralmente por um inventário de bens do defunto, acompanhado de diversa documentação que comprova posses e dívidas a pagar ou a cobrar.

Suporte uma folha de papel dobrada escrita em ambas as faces.
Arquivo Arquivo Histórico Nacional de Cabo Verde
Repository Tribunal da Praia
Cota arquivística Caixa 127, Processo 9
Fólios 32r-32v
Socio-Historical Keywords Tiago Machado de Castro
Transcrição Tiago Machado de Castro
Contextualização Tiago Machado de Castro
Modernização Catarina Carvalheiro
Anotação POS Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Data da transcrição2013

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Snr Cappam Mor Joze de Evora macdo

Recebi a sua carta e vejo o que me dis sobre o que lhe devo e não foi dro que a vmce me emprestou como vmce podera dizer mas sim po-co de galão que mandou tomar na compa por asim eu lhe pedir, de que não lhe remeto ja e pa ja a da coantia porque na mao do Coronel semedo me para poco de dro e ele se acha na Ribra da Barca porem brevemte vira pa me entregar o tal dro o que logo satisfarei a vmce qdo queira esperar por estes breves dias e se não quizer pode satisfazer o seu ameaço que brevemte acharei com que eu poça remir o vexame, e em vmce dizerme que eu sou seu servo, pelos bons modos, se eu deser pela mta cauza que me pois me pareçe que não dou a- vmce ocazião de obrar comigo como obra po-rem paçiencia a mto poca fortuna furtuna pa com vmce que Ds Ge ms anns

villa da Praya 17 de Agosto de 1773 De vmce Mo vndo e C Manoel Tes Silva

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frasesSyntactic annotation