PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR0091

1591. Carta de Fernão Dias, clérigo, para Mateus Pereira, secretário do Santo Ofício.

ResumoO autor dá conta de um mau procedimento teológico e pede conselho sobre como atuar.
Autor(es) Fernão Dias
Destinatário(s) Mateus Pereira            
De Portugal, Torres Vedras
Para Portugal, Lisboa
Contexto

No cabeçalho da presente carta, e depois expresso no corpo da carta, vem a informação de que se trata de uma denúncia acerca de frases proferidas pelo prior de Santa Maria, Gaspar Barreto, durante um ato público.

Dentro do fundo do Tribunal do Santo Ofício existem as coleções de Cadernos do Promotor das inquisições de Lisboa, Évora e Coimbra. O seu âmbito é principalmente o da recolha de acusações de heresia. A partir de tais acusações, o promotor do Santo Ofício decidia proceder ou não a mais diligências, no sentido de mover processos a alguns dos acusados. Denúncias, confissões, cartas de comissários e familiares e instrução de processos são algumas das tipologias documentais que se podem encontrar nestes Cadernos. Quanto ao crime nefando e à solicitação, são culpas que não estão normalmente referidas nestes livros.

Suporte uma folha de papel dobrada, escrita na primeira face e com sobrescrito na última.
Arquivo Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Fundo Inquisição de Lisboa
Cota arquivística Livro 197, 6º Caderno do Promotor: "Papéis de Fora" ou "Papéis Antigos"
Fólios 180r-180v
Online Facsimile http://digitarq.arquivos.pt/details?id=2318023
Socio-Historical Keywords Tiago Machado de Castro
Transcrição Tiago Machado de Castro
Revisão principal Rita Marquilhas
Contextualização Tiago Machado de Castro
Modernização Clara Pinto
Data da transcrição2016

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

sor

Esta que escrevo he para me VM fazer m de me avizar do que aqui direi. oge domĩgo q forão 10 de marso fazemdo o doutor gaspar bareto priol de samta Ma estasão dixe pubricamẽte q não avia mãdamemto q nos obrigase amar a deos: nem avia artigo da fe q nos obrigase a Crer em deos e disto se esCamdalizarão todos hos sacerdotes q no Coro estavão emtre os Coais estava hum beneficiado por nome po amriques teolego q lhe tem mto a mal o q dixe e o povo da mesma maneira e porque todos ficamos comfuzos cem nos sabermos detreminar o que niso fariemos e por iso quis escrever estas regras a Vm para que nos avize se estamos obrigados a denuciar isto ao sãcto oficio ou não e avemdo de cer ce a de ser por nosas pas ou por nosos asinados e de tudo isto me a Vm d avizar logo. E mãdaime em q sirva noso sor etc, De torres vedras a 10 de marso de 91

Servidor de V m Fernão dias

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frasesSyntactic annotation