PT | EN | ES

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

PSCR0251

1601. Carta de António do Salvador, frade, para Gabriel de Brito, ministro provincial.

Autor(es)

António do Salvador      

Destinatário(s)

Gabriel de Brito                        

Resumo

O autor fala a um superior sobre o caso do frade Vicente Borges e pede-lhe que envie um frade músico para animar o convento.
O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Em careser o muito que folguei com as novas do hofisio não ha pera que, so poso dizer que se alembrou deus desta provinsia pois premetio saise quẽ olhase por ella sem paixão, nẽ deixase de fazer justisa nas couzas nesesarias, eu cheguei a este convento o sabedo d asensão as novas que achei sam que avia vindo o pispo de lameguo a esta caza onde perguntou por quem avia saido por pal diserãolhe que vosa paternidade alegrouse muito por emtender faria justisa no cazo de fr visente de que elle tem huã devasa mas não se satisfas do que se lhe dise ate ver vosa paternidade ho abade de mariava lhe dise que ho avião deitado ha galle a que respondeo ho que diguo asima o pe fr Marcos pudera ter curado isto se quizera e outras couzas que erão serviso de des como tambem deixar estar aqui o pe fr Miguel viguairo que foi deste convento o qual segudo se dis não ser nhũ serviso de des estar aqui caindo vosa paternidade ouvira os frades mande lhe boleto la pera alentejo antes que nos afronte mais do que tem, no mais pedirlhe frade que tanga e cante pois os que estão sam pouquo muziquos fiquo pedindo o snor vida e estado lhe aumente por muitos annos Ame destes villares a 3 de junho de 601

seu sudito corador frei Anto do salvador

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLDownload textWordcloudRepresentação em facsímileManuscript line viewPageflow viewVisualização das frases