PT | EN | ES

Main Menu


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

Sentence view

1651. Carta de Dom Filipe de Moura para Pedro de Castilho, inquisidor.

SummaryD. Filipe de Moura confessa ao inquisidor Pedro de Castilho que reincidiu em atos de sodomia; pede perdão por carta, alegando estar demasiado doente para ir pessoalmente à Inquisição.
Author(s) Filipe de Moura
Addressee(s) Pedro de Castilho            
From Portugal, Lisboa
To S.l.
Context

O processo de sodomia de D. Filipe de Moura está estudado por Francis A. Dutra em "Sodomy and the Portuguese Nobility: The Case of Dom Filipe de Moura and His Circle," Harold Johnson and Francis A. Dutra, eds., Pelo Vaso Traseiro. Sodomy and Sodomites in Luso-Brazilian History (Tucson: Fenestra, 2007), pp. 165-194. Súmula do artigo: durante o reinado de D. João IV (1640-1656) houve maior perseguição à sodomia do que em qualquer outro período da história de Portugal. No entanto, quando os réus eram nobres, a punição que lhes era aplicada era muito mais branda do que a que recebiam os plebeus seus contemporâneos e inclusivamente seus parceiros. Um nobre como D. Filipe de Moura ou como o terceiro Conde Vila Franca, ambos réus em processos inquisitoriais durante aquele reinado, reconheceram ter inúmeros parceiros em atos de sodomia e ter reincidido nos mesmos atos, mas foram apenas degredados: D. Filipe de Moura foi degredado para Bragança e depois para Braga (por o clima ser melhor) e o conde de Vila Franca ficou confinado a um mosteiro no Algarve.

Support meia folha de papel não dobrada escrita dos dois lados
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Collection Inquisição de Lisboa
Archival Reference Processo 789
Folios 19r-v
Online Facsimile http://digitarq.arquivos.pt/details?id=2300671
Transcription Rita Marquilhas
Main Revision Clara Pinto
Standardization Clara Pinto
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2009

Text: -

Tags:


[1]
sr Pedro de Castilho
[2]
Todos estes dias andey esperando q meos achaques me dessẽ lugar a me poder yr bottar aos pes de VM e desses sres a pedir misericordia Em meos Erros,
[3]
porem meos males me tem em tal estado q venho do conso a estas horas, Em estado q totalmte fico na Cama Emtrevado dos quadris, E xoelhos, com tão exescivas dores q nem em braços me posso bulhir,
[4]
e pera ver si assim o podia fazer esperey ate as duas da tarde em q faço este, pello qual me presento a VM E aos mais sres comfessando q depois do tempo q me presentey nesse sto tribunal q foy no anno de 643 cay no pecado de nefando, E sodomia quatro veses unicas duas dellas no anno de 644 Manoel de Mendonça filho de tristão de mendonça no Lugar das caldas, E as outras duas no mesmo anno, ó no principio do sigte comfe minha Lembrança Com Anto de la Torre morador nesta Cidade, E me diçe q de pte vive em Cabo berde das quais me acuso de presente Com todo arrependimto E dor devida q a VM E a esses sres pode assegurar a emenda de sette annos a esta parte, Em q não tenho Cometido (pella misericordia de deus) outra culpa,
[5]
E muyto mais posso assegurar a continuação desta Emenda (q de novo prometto) com a impossibilidade de meos achaques idade, E Lugar, q occupo, assegurando a ess VM e a Esses sres q si elle não fora, eu mesmo me fora donde não aparescera no mũdo, por esta reincidencia
[6]
E assim postrado aos pes de VM, E dos mais sres peço tenhã misericordia commigo, E com minha emenda continuada E prometida, fazendome merçe de me aceytarem esta comfissão a qual juro aos stos Evangelios (por este escrito feyto E assinado por mim,
[7]
E qdo não possa ser sejão VM E esses sres serdos mandarenme tomar minha comfissão pella pessoa q lhes parescer Visto a impossibilidade q de pte tenho de me poder erger desta cama
[8]
E qdo com o favor de deos o possa fazer não posso subir Eu degrao q não seja em braços de homẽs,
[9]
E indo nesta forma Lançarme aos pes desses sres ficara publica minha imfamia,
[10]
E da Clemencia q nelles tenho achado, E todos esperimẽtão espero se doão da honra de homẽ de minha calidade, E lugar, qdo postrado aos pes de VMs pesso hajão piedade de Mim a qual pesso pello sangẽ de Xpo con toda a dor E Arependimto possivel, com q de novo peço misericordia
[11]
gde deus a VM como desejo
[12]
Lxa E casa 12 de Junho de 651 FILIPE de moura

Text viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSyntactic annotation