PT | EN | ES

Main Menu


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

CARDS0066

1822. Carta anónima, atribuída a José António Maltezinho, salteador, escrita a Vicente António, deputado.

SummaryJosé António Maltezinho, sob nome falso e ameaças, pede ao deputado Vicente António dinheiro para libertar um companheiro da cadeia.
Author(s) José António Maltezinho
Addressee(s) Vicente António            
From Portugal, Lisboa, Cadeia do Limoeiro
To S.l.
Context

A carta transcrita, da autoria intelectual de José António Maltezinho, foi redigida por outro preso, António Maria de Lemos, com assinatura e profissão falsas: João Espanha, capitão. O carcereiro da cadeia do Limoeiro entregou ao juiz do crime, Francisco de Paula de Aguiar Ottolini, uma carta que lhe foi dada pelo preso António Maria de Lemos, de alcunha «o Barradas». Na presença do ministro, confessou ser da sua autoria a carta destinada ao seu tio (CARDS0067). Após a comparação da letra com a de uma outra carta, destinada ao deputado Vicente António, o juiz interrogou António Maria de Lemos acerca da autoria da mesma, já que as letras eram semelhantes. António Maria de Lemos respondeu que José António Maltezinho lhe pediu que escrevesse uma carta dirigida a um António, morador na Calçada do Duque. O conteúdo dessa carta consistia num pedido de 33 moedas e em várias ameaças, caso o pedido não fosse satisfeito. A quantia devia ser entregue às grades da cadeia, a um preso de cujo nome já não se recordava, embora o tivesse escrito na dita carta. Acrescentou que não denunciou José António Maltezinho por ignorar a prática da cadeia, visto que estava preso havia dois dias e não sabia a quem se dirigir. Também temia os outros presos, receando que o agredissem por serem homens «facinorosos». O preso que devia receber o dinheiro junto às grades chamava-se Manuel da Cruz. Porém, este último negou estar envolvido em tal logro, afirmando que não sabia ler nem escrever. Manuel Cruz acabou por admitir que o preso José António Maltezinho lhe entregou um papel cortado que ele deveria levar junto às grades para receber o dinheiro de quem levasse a outra metade da senha em papel e gritasse pelo nome de António Roberto e assim aconteceu. Contudo, no momento em que recebeu o dinheiro, foi surpreendido pelos guardas. Quanto à carta, nada sabia dela, a não ser que era dirigida a um homem que morava na Calçada do Duque e que tinha estado envolvido no crime de Francisco António da Mota. José António, de alcunha o «Maltezinho», interrogado acerca do seu envolvimento no caso, confessou estar na origem do mesmo, mas sublinhou que as ameaças eram falsas pois pretendiam apenas amedrontar o destinatário e fazê-lo pagar. José António Maltezinho foi condenado a degredo para Angola por se ter provado que era salteador e capitão de uma quadrilha de ladrões. Manuel da Cruz estava já condenado, por outro crime, a 3 anos de degredo para as ilhas de Cabo Verde. Este processo contém, no seu fólio 7, as duas senhas apreendidas pela Intendência Geral da Polícia. Consistem em dois pedaços de papel que se ajustariam um ao outro no momento da entrega do dinheiro.

Support meia folha de papel dobrada escrita em todas as faces, com sobrescrito no verso do segundo fólio.
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Collection Feitos Findos, Processos-Crime
Archival Reference Letra M, Maço 44, Número 6, Caixa 89, Caderno [2], Ap1
Folios 4r-5v
Transcription Leonor Tavares
Main Revision Cristina Albino
Contextualization Leonor Tavares
Standardization Clara Pinto
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2007

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

5 de Março de 1822 Ao Illmo Snr Viçente Anto

Muito Ei de estimar que estas duas Regras o Vão achar disfrutando huma feliz Saude Em compa de tudo Cuanto lhe pertençe Snr nós aCupalmo a VSa porque não pode ser por mennos agora demos a Saber a VSa que se haxa hum Companheiro Nosso prezo na Çalla fixada da Çidade que se xama Antonio Roberto queremos que A VSa me fassa o favor de 30 e tres moedas Emperestadas até a feira de Maio e nisto se lhe dara o seu Lucro pois para Livramento do nosso Companheiro e este dinheiro Sará Emtregue athe ao dia 11 sem falta alguma e adevirto que ha de Xamar por este dito prezo em Çegredo a grade e o dito Antonio Roberto lhe Emtreguará huma Cautella Igual a esta e Vmce lhe Emtreguara logo logo o dito dinheiro e adevirto que seja Emcartuxado e agora diguo que se Vmce brama Contra o prezo nós quá Estamos de fora para o dispicar nos CompaNeiro logo nos Escreve daquillo que he passado e se nós temos por notiçia que aperzentado nas Cortes e em algum Tribunal Rial Nós logo de tudo sabemos Snr nos Uzamos Como Homens de Bem VSa tem Sido muito Respeitado e mal o seu feitor Antonio da Roza agora não queira perder muito por Couza pouca Snr por nós sabemos de tudo Cuanto çe passe e sabemos os passos que VSa e mas da Sna saa Manna e de tudo Cuanto lhe manda mas nós não queremos Saber disto o que queremos que tão depreça Receba esta mandará Logo o que se lhe manda pedir e adevirto que se aqui ha falta os seos Guados o paguarão porq nós temos Muito em que nos Vingarmos pode contar que lha deitemos de Rastos que athé o proprio Laguar ha de ser feito Em cinza ha de ser Em tudo Cuanto peguar Lume por nós tambem tambem llá temos aMigos em Lisbo a seguir o seos Passos que A VSa e pode Descançar que Nunça mais ha de Viver descançado e pode Contar se faValler a este Infeliz Sará nosso Padrinho e Sará Respeitado e tudo Cuanto lhe pertençe Bem sabe as Desgraças que tem açeçodido em Lisboa o que fara em Campo que ahinda milhor se pode fazer e adevirto que Cuando Xamar por este prezo que pessa que quer fallar Com elle em Segredo e que não a Caza dos asSentos porq nós não queremos que seja a Ordem nós lha pedimos que as grades da mesma prizão q a salla fixada da Çidade Com isto Não emfado mais a VSa

deste seu Criado João Espanha Campitão e mal os seus Companheiros Evora

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textText viewWordcloudFacsimile viewManuscript line viewPageflow viewSentence viewSyntactic annotation