Corpus de Textos Antigos

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

M1008T1008

História de mui nobre Vespasiano

TitleHistória de mui nobre Vespasiano
AutorDesconhecido
EdiçãoMaria Inês Almeida
Tradução/RedacçãoTradução do castelhano. O poema em francês do séc.XII Vengeance de Nostre-Seigneur ou Histoire de la destruction de Jerusalem está na origem de prosificações levadas a cabo nos sécs. XIV e XV e que forneceram o arquétipo para as traduções ibéricas deste texto.
Data da Tradução/Redacção1496 (antes de)
TestemunhoLisboa, Valentim Fernandes, [1496?]. Biblioteca Nacional de Portugal, Inc. 571
Data do Testemunho1496
BITAGAPManid 1008, cnum 1008, Texid 1008
GéneroNovelística

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

índice   Capítulo 5 < Chapter Capítulo não numerado > Capítulo 6

¶De como chegou gays a jherusalem e de como o acolheo jacob em sua casa e de como disse o mestre salla gays a jacob ao q era vijndo a jherusalẽ .

E De aly a tres dias chegarõ as portas de jherusalẽ e aly acharõ huũ homẽ q auia nome iacob o qual era padre d maria jacobi e o mestre salla preguntou a jacob onde aueria pousada e jacob respondeo lhe e dixe lhe Senhor vinde vos cõmigo e eu vos mostrarey boa pousada . e jacob leuou o a sua casa . e ouuerõ muytas viãdas e repousarom todo o dia e des que veo a noyte dormirom e folgarõ . e quãdo veo a manhaa jacob se aleuantou primeyro q o mestre salla e des que se leuantou o mestre salla jacob o tomou polla maão e dixe lhe . Senhor ospede vos sejaes muy bem vijndo e toda vossa cõpanha . Eu vos rogo q me digaes dõde soees e como vos chamã e por q cousa soes aquy vijndo a esta cidade q per vẽtura eu vos darey recado : e ficara por my d vos dar todo boõ auiamẽto asy como se foses meu irmão e disto auee vosso cõselho q eu sey al q vos diga . Respõdeo ho mestre salla e disse jacob Senhor a my me chamã gays e som de roma e mestre salla de meu senhor e vosso empador . e som vindo a esta terra por mesegeiro de meu senhor e por algũas cousas q sejã pueitosas pa elle porq vos duees de saber q meu senhor o empador tẽ hũa doença forte e fea em seu rostro e se podẽ achar fisicos nem çelorgiãos no mũdo q o possã dar saão porq aquella doença todos os dias creçe tanto q o tem gastado e comesta a façe de maneyra q nehuũ homẽ ho pode veer os dẽtes e as qeixadas que quanto lhe mais mezinhas poẽ na chaga mais lhe creçe e he peor : por q sabays q eu som vindo a esta terra q se p vẽtura poderia achar aquy algũas cousas q fossem pueitosas a meu senhor pa o dar saão daqlla forte doença e eu vos rogo q seja emcuberta nehũa cousa q seja proueitosa pa meu senhor . E sabede que eu tornarey mais a roma atee q ache recado pa saraar meu senhor o empador . porq senhor vos praza que se vos sabees algũas cousas q sejã pueytosas a my q me sejã encubertas . E eu vos farey o mayor de casa d meu senhor o emperador sobre quãtos som .


Guardar XMLDownload text