Corpus de Textos Antigos

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

M1008T1008

História de mui nobre Vespasiano

TitleHistória de mui nobre Vespasiano
AutorDesconhecido
EdiçãoMaria Inês Almeida
Tradução/RedacçãoTradução do castelhano. O poema em francês do séc.XII Vengeance de Nostre-Seigneur ou Histoire de la destruction de Jerusalem está na origem de prosificações levadas a cabo nos sécs. XIV e XV e que forneceram o arquétipo para as traduções ibéricas deste texto.
Data da Tradução/Redacção1496 (antes de)
TestemunhoLisboa, Valentim Fernandes, [1496?]. Biblioteca Nacional de Portugal, Inc. 571
Data do Testemunho1496
BITAGAPManid 1008, cnum 1008, Texid 1008
GéneroNovelística

O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

índice   39r < Página 39v > 40r

d nos deixardes tornar pa nossa terra . E o empador respõdeo q lhe prazia . e deu lhe grãdes doões a cada huũ segũdo quẽ era e sua graça todos tomarõ liçẽça e se despedirõ do empador e d Titus e de toda a corte . E des q isto foy feyto rogarõ a sam clemente q lhes desse por escripto os dez mãdamẽtos da ley e os .xiiij. artijg da ffe catolica . e o pater noster e aue maria e todallas outras cousas q faziã mester d teer assi como fiees aãos por tal q cada huũ podesse afazer a gẽte catolica E sam clemẽte fez escriuer a cada huũ todas estas cousas e outras q aqui som escritas . E des q teuerõ assi tudo pedirõ liçença a sam clemẽte e forõ se pa suas terras cada huũ . E d hy a poucos dias cada huũ fazia bautizar seus pouoos e tornar a scta ffe catolica . a ql ẽxalçada por todo o pouoo e emperio de roma . E as gentes sayrõ do error dos diaboos em q criã . e destroyrõ todollos ydolos e adorarõ huũ ds todo poderoso padre e filho e sprito scto e creerõ nesse firmemẽte . E sam clemẽte visitaua os ameude cartas suas e ẽuiaua lhes epistollas e euãgelhos q som creẽça da scta ffe catolica e ẽformaçam das suas almas .

¶Como o empador mandou trazer ante si pilatus . e como foy julgado aa pena . Capitollo .xxvj.

DEpois q o empador deu liçẽça aos se caualleiros e se partirõ . elle mãdou ao mestre salla q trouuesse pilat ante elle des q ouuisse


Guardar XMLDownload text