Corpus de Textos Antigos

Menu principal


Powered by <TEI:TOK>
Maarten Janssen, 2014-

M1143T1103

Vida de uma santa monja

TitleVida de uma santa monja
EdiçãoCristina Sobral
Tradução/RedacçãoTradução do latim: «Verba seniorum», De Vitis Patrum Liber VI, Migne, Patrologia Latina 73, cols.995-998.
Data da Tradução/Redacção1375-1400
TestemunhoBiblioteca Nacional de Portugal, Alc. 462, fls. 73r-74v
Data do Testemunho1431-1446
BITAGAPManid 1143, cnum 1086, Texid 1103
GéneroHagiografia

índice   73v < Página 74 > 74v

a poucos dias . em seu huso de ssa uida como soia de uiuer E ao tenpo de ssa morte . ffez tam boo tenpo que todos seus amigos . a ssoterrarom muj honrradamente E eu que depois fiquey da morte delles . começey de cujdar quaaes das uidas filharya . sse a de minha madre ou a de meu padre . E cõsijrey de filhar a de minha madre . que uiueo sua ujda auondada e aa sua morte muito honrrada E eu esto estando çarrou se a nocte E veo a mj̃ huũ homẽ muj grande de corpo e espantoso . de sua cara e de sua fala e disse me que estas coidando . o que tu estas coidando . vem ẽpos mỹ e sigui me e eu te mostrarey teu padre e tua madre E o que cada hũũ ha polla ujda que fez E foy me elle e leuou me a huũ canpo ẽno qual auja muj desuairadas aruores de desuairados fructos E eruas muy uerdes de desuairadas frores e aues que cantauã desuairadas maneyras E muy fremosas . qual lyngua d’homẽ nom poderia dizer E ally vy eu estar meu padre que veo a mỹ E abraçou me E eu lhe Rogaua que me leixasse ficar cõsigo E el me disse he ajnda tenpo . mais se o meu caminho seguires çedo verras aqui E aquel que me ally trouuera me disse anda e hir t’ey mostrar tua madre e fuj adiante a hũũ vale . e vy hũa coua muj negra e muj espantosa e tamanho era hy o bater dos dentes e o choro e os braados que se nom podiam hi ouuir hũũs os outros E uj minha madre jazer atolada fogo . atee os olhos e desuairados vermẽẽs que a comiam de cada parte E ella começou

Guardar XMLDownload text